Menu
SADER_FULL
terça, 11 de maio de 2021
Busca
Brasil

“Democracia, Campanhas Políticas e Ética” de Antonio Néres

21 Jul 2004 - 13h14

DEMOCRACIA, CAMPANHAS POLÍTICAS E ÉTICA

Antonio Néres.

Não se pode falar em democracia sem que nos lembremos, de imediato, de partido. É com os partidos e pelos partidos que se exerce, pratica e exprime a democracia. Esta se consolida na medida e proporção em que os partidos se apresentem fortes, com programa sólido e embasados numa ideologia consistente e definida. Ter um programa não basta, acenar para uma ideologia não é suficiente. Os partidos devem ter um programa estabelecido, com metas bem marcadas e com uma ideologia que não seja somente escrita, mas resultado de uma aspiração e de uma filosofia de vida.

A falta de agremiações políticas com tais características fragiliza as instituições democráticas e propicia as chamadas crises de regime. A eventual existência de grupos, facções ou alas, dentro de um partido político, desde que estes se voltem para a circunstancialidade, não para a essencialidade, e que são superados quando o objetivo maior precisa de união, não é sintoma de fraqueza desde que o essencial seja mantido e se superem as diversidades.

Os partidos de esquerda, que se fundamentam no marxismo, no materialismo histórico e na luta de classes, trazem consigo visualizações diferentes no acidental, mas jamais abdicam do essencial, que é o fundamento ideológico e programático a unir e nivelar todos os grupos. O programa dará sustentação ao governo que todos querem conquistar e sua aplicação é o objetivo que os conduz ao embate político.

Numa eleição caberia, antes de se procurar o candidato, voltarmo-nos para o que ele representa enquanto comprometido com uma ideologia, pois esta é que definirá a fisionomia ao programa de governo que vier a apresentar. Não deve estar em jogo, prioritariamente, o candidato, mas sim a sua capacidade de executar e implantar o que a legenda sob a qual se abriga se propõe a executar. Partido é instrumento de promoção do bem comum e este passa, sempre, pelo respeito à dignidade do homem e sua pessoalidade. Se não tivermos isso presente, devemos concordar que não estamos sabendo votar.

*O autor é radialista e jornalista.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada
TERROR NA CRECHE
Sob forte emoção moradores de Saudades realizam velório coletivo das vítimas do ataque à creche
CHEGANDO FORTE
Frio chega com força e provoca geada no Sul
TERROR EM CRECHE
Jovem invade escola e mata três crianças e duas funcionárias
PÉSSIMA PROJEÇÃO
Covid-19: Brasil deve alcançar 575 mil mortes em 1º de agosto, diz instituto