Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 23 de fevereiro de 2020
SADER_FULL
Busca
Brasil

Delcídio se encontra com Dilma em Brasília

12 Jun 2010 - 08h38Por Fátima News com Assessoria

O senador Delcídio do Amaral (PTMS) se encontrou nesta sexta-feira, 11, com a pré-candidata do Partido dos Trabalhadores a Presidência da República, Dilma Roussef, com quem tratou de assuntos relacionados às eleições deste ano e investimentos em Mato Grosso do Sul. A conversa aconteceu na sede do Diretório Nacional do PT, em Brasília, onde está sendo realizado o encontro que antecede a convenção do partido para a homologação da candidatura de Dilma, no domingo.

         “Foi uma conversa excelente”, considera Delcídio. “Discutimos o panorama político nacional e, especialmente, a situação de Mato Grosso do Sul, onde o quadro já está definido.  De um lado está o nosso palanque, que é o  dela,  encabeçado pelo ex-governador Zeca do PT como postulante ao governo, tendo eu e o deputado Dagoberto Nogueira (PDT) como pré-candidatos ao Senado. Do outro lado o governador André (PMDB)  apoiando o Serra (PSDB). A ex-ministra me garantiu que vai ao estado logo após a realização da nossa convenção, no final de junho”, adiantou.

         De acordo com Delcídio, Dilma Roussef fez questão de deixar claro que a coordenação da campanha dela em Mato Grosso do Sul será feita pelo PT. “Todas as lideranças que quiserem se juntar à nossa coligação serão benvindas, mas a coordenação é do PT. O  partido vive um momento muito bom no estado, com os nossos pré-candidatos bem posicionados nas pesquisas de opinião. A ida da ex-ministra vai reforçar ainda mais o nosso time, para que alcancemos juntos a vitória”, esclareceu.

         O senador disse que Dilma está muito contente com o resultado das últimas pesquisas, onde ela aparece empatada em primeiro lugar com o adversário, mas demonstra ter os pés no chão. “A pré-candidatura vai continuar crescendo nas próximas semanas, mas ela reconhece que ainda temos um longo caminho pela frente até 3 de outubro. Por isso, a recomendação é continuar trabalhando duro para mostrar aos eleitores que os 8 anos de governo do PT foram os melhores da história recente do país, tanto no aspecto econômico quanto no social, e que ela está muito bem preparada para governar o país. O lema da campanha é Continuidade com Avanço”, revelou.

         Dilma se comprometeu com Delcídio a ajudar o PT de Mato Grosso do Sul a consolidar as alianças partidárias, especialmente com o PTB e o PSB. O senador aproveitou o encontro com a ex-ministra para pedir que ela inclua em seu plano de governo projetos que permitam melhorar a infraestrutura urbana e rural do estado e priorize investimentos em pavimentação, drenagem,  implantação de rede de esgotos, construção de casas populares e a duplicação das rodovias federais que hoje vivem congestionadas pelo número enorme de caminhões, como é o caso da BR 163.

         Delcídio permanece em Brasília durante o final de semana, para participar, neste sábado, do encontro do PT na sede do partido e da Convenção Nacional que vai homologar e candidatura de Dilma, marcada para domingo, às 10h, no Centro de Convenções Unique Plaza.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CARNAVAL E TURISMO
Carnaval: Veja 6 destinos para descansar e contemplar as belezas de MS
VICENTINA - RAÇA NEGRA TÁ VINDO
Em noite de Feira Livre, prefeito surpreende e anuncia Raça Negra para o aniversário de Vicentina
TURISMO NO MS
Descubra a beleza das praias de água doce para curtir o Carnaval em MS
CARNAVAL 2020
Por WhatsApp, Witzel convida Bolsonaro para assistir a desfiles do carnaval no seu camarote
DICAS DE SEGURANÇA
Saia de viagem neste feriado e deixe sua casa segura com as dicas da Polícia Civil
GUGU LIBERATO
Defesa diz que Gugu Liberato deu 500 mil dólares a Rose Miriam e mansão de R$ 6 mi
LUTO NO CINEMA
Morre aos 83 anos José Mojica Marins, o lendário Zé do Caixão
FAMOSIDADES
Pós-parto: Andressa Miranda faz revelações sobre sexo com Thammy Miranda
CONCURSO DO EXERCITO
Concurso Exército: Saiu o edital com 1.100 vagas para nível médio
BOLSONARO
Bolsonaro diz que imprensa poderia ser um partido: ''Ia ficar à esquerda''