Menu
SADER_FULL
quinta, 24 de junho de 2021
Busca
Brasil

Delcídio falará sobre o Pré-sal nesta sexta-feira na UFGD

4 Nov 2009 - 10h23Por Conjuntura

O Senador Delcídio do Amaral (PT/MS), vai ministrar uma palestra na próxima sexta-feira, dia 06 de novembro, às 20h, no auditório da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), Unidade 1.

O tema abordado será o Pré-Sal e o desenvolvimento da ciência e tecnologia que, aliás, está sendo debatido em várias universidades públicas federais do país, com foco para o desenvolvimento econômico, social, cultural e ambiental da proposta.

Na semana passada, por exemplo, a UFPI (Universidade Federal do Piauí) recebeu representantes da Petrobrás que falaram da importância da Geoquímica Orgânica na Prospecção de Petróleo e a contribuição esperada para o desenvolvimento científico e na criação de soluções tecnológicas relacionadas à exploração de petróleo.

Essa será a primeira abordagem do Senador Delcídio sobre o Pré-Sal dentro do âmbito universitário. Ele, que já foi diretor de Gás e Energia da Petrobrás, também abordou o assunto durante um seminário sobre as perspectivas energéticas em Mato Grosso do Sul na Uniderp, em Campo Grande.

Para o reitor da UFGD, professor doutor Damião Duque de Farias, é fundamental que o assunto seja abordado dentro da comunidade acadêmica pela sua importância mundial, nacional e regional e também pelas pesquisas desenvolvidas nessa área e sua contribuição na sociedade.

O Pré-Sal

Nas camadas rochas da camada pré-sal existentes no mundo, a primeira descoberta de reserva petrolífera ocorreu no litoral brasileiro. Estas também são as maiores reservas conhecidas em zonas da faixa pré-sal até o momento identificadas.

As reservas de petróleo encontradas na camada pré-sal do litoral brasileiro estão dentro da área marítima considerada zona econômica exclusiva do Brasil. São reservas com petróleo considerado de média a alta qualidade, segundo a escala API.

O conjunto de campos petrolíferos do pré-sal se estende entre o litoral dos estados do Espírito Santo até Santa Catarina, com profundidades que variam de 1000 a 2000 metros de lâmina dágua e entre quatro e seis mil metros de profundidade no subsolo, chegando portanto a até 8000m da superfície do mar, incluindo uma camada que varia de 200 a 2000m de sal.

Nestes casos, foram a ousadia e o trabalho envolvendo geração de novas tecnologias de exploração, desenvolvidas pela Petrobrás, que acabaram sendo copiadas ou adaptadas e vêem sendo utilizadas por multinacionais para procurar petróleo em camadas do tipo pré-sal em formações geológicas parecidas em outros locais do mundo.

Algumas das multinacionais petrolíferas que estão procurando petróleo em camadas do tipo pré-sal no mundo, aprenderam diretamente com a Petrobrás, nos campos em que exploram como sócias da Petrobrás no Brasil. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

assis (2) VEJA VÍDEO
Antes de morrer, vítima gravou áudio relatando que esposa e dois homens teriam realizado crime
CRIME PASSIONAL
Contadora é morta pelo ex-marido, que comete suicídio em seguida
100 PERDÃO
Mulher trai marido, não é perdoada e coloca fogo no próprio corpo como forma de se punir
TRAGÉDIA NO CAMPO
Pulverizador passa por cima da cabeça de agrônoma em fazenda
COPA AMÉRICA
Brasil leva gol antológico, mas vira sobre a Colômbia e se classifica em 1º lugar
APOSTAS NO BRASIL
É legal apostar em esportes no Brasil?
CRIME BRUTAL
Mulher é encontrada morta com rosas, uma aliança nas mãos e frase cruel escrita na testa
TRAGEDIA
Casal é encontrado morto no banheiro com o chuveiro ligado
VEJA VÍDEO
Servidora não deixa lençol sujar com sangue de bandido e viraliza na internet
LUTO NA TV
Apresentador do Balanço Geral morre vítima da covid