Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 18 de abril de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Decreto quer o fim da restreabilidade bovina no país

11 Ago 2004 - 08h13
A Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados pode apresentar hoje decreto legislativo que suspende a exigência da rastreabilidade de bovinos no país. O deputado Waldemir Moka (MS), membro da comissão, disse há pouco que a primeira alternativa é uma negociação com o Ministério da Agricultura. “Se não houver acordo, vamos apresentar o projeto”, diz. Segundo o deputado, o setor pecuário defende que a adesão seja livre “e não obrigatória como é hoje”, acrescenta, justificando pelas dificuldades que, segundo ele, os produtores têm para cumprir com a exigência. “Não importa se o gado é para exportação ou não, todos têm que ser rastreados”. Moka, que é autor do requerimento que provocou uma audiência pública, informa que os deputados da Comissão de Agricultura vão discutir, amanhã cedo, com o ministro Roberto Rodrigues uma solução “amigável” para o impasse, mas avisa que se não for possível vai ser apresentado o decreto anulando a rastreabilidade.

Deixe seu Comentário

Leia Também

VIDEO CAPIVARA NA IGREJA
Capivara invade igreja: 'acho que ela veio rezar conosco', brinca Padre
BEBEDEIRA
Idoso conhece mulher, leva para casa é atacado a facadas
ROUBO DE CARGA
Três mil pessoas roubam carga de carne após carreta tombar e provocam novo acidente
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa credita 1ª parcela do Auxílio Emergencial nesta quinta para nascidos em maio
mulher carro beltrao 1 VIDEO
Mulher cai e fica ferida após ser flagrada em cima de carro em movimento
DESESPERADOR
Covid-19: Brasil registra 3.808 mortes em 24 horas
EXEMPLAR
Cidade modelo que vacinou 64% da população vê casos de covid-19 caírem 78%.
NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições