Menu
SADER_FULL
quarta, 3 de março de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Crise alimentar pode agravar violência em países pobres, diz FAO

11 Fev 2011 - 14h48Por Agência Brasil
O Fundo da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) no Brasil apoia proposta para regular os preços dos alimentos no mercado internacional. O representante da FAO no Brasil, Helder Mutéia, explica que a alta instabilidade dos preços nos mercados pode levar a população que vive em regiões de extrema pobreza a protestos violentos. Segundo a entidade, o preço internacional de alimentos chegou ao seu maior valor em 20 anos.

“A crise alimentar leva à violência os países mais pobres, nesses países a população gasta mais de 70% de sua renda em alimentos. Não podemos deixar os preços dos alimentos subirem cada vez mais. Queremos resolver a situação dos preços tanto para quem produz quanto para quem consome,” disse.

 

Segundo ele, o momento exige cautela. “Precisamos tomar atitudes para evitar uma crise e fazer um planejamento de longo prazo, não queremos brigar com os mercados, mas melhorar a maneira que os mercados funcionam”, disse o representante.

A regulação do preço dos alimentos é apoiada pela FAO e pelo comércio mundial. A Organização Mundial do Comércio (OMC) tem um papel fundamental de regular a compra e venda de alimentos no Brasil.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Filho de fazendeiro reclama de dor anal e mãe descobre estupro cometido por funcionário
BOA NOTICIA
Governo zera PIS e Cofins do diesel e do gás de cozinha
RIGOR DA LEI
Cidade vai multar em até R$ 60 mil quem descumprir decreto de combate ao Covid-19
PANDEMIA 100 FIM
Brasil tem 30.484 mortes por Covid-19 em fevereiro, 2º maior número em toda a pandemia
charge_gasolina 100 TRÉGUA
Facada: Petrobras anuncia novo aumento nos preços da gasolina e diesel
CARCERE PRIVADO
Homem é preso por cárcere privado e violência doméstica após mulher pedir socorro com foto nas redes
NOVO AUXILIO
Presidente afirma Auxílio emergencial deve voltar em março, com parcelas de R$ 250
ALERTA EPIDEMIOLÓGICO
Covid-19: Brasil registra 1.541 mortes em 24 horas
MUNDO DO CRIME
Após morrer de Covid-19 no mesmo dia, casal tem oficina invadida e furtada
TRISTEZA NA FAMILIA
Pai e filho morrem de Covid-19 com poucas horas de diferença