Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 29 de março de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Crimes apontados no relatório podem levar Bernal à prisão, dizem vereadores da CPI

19 Set 2013 - 16h00Por Mídia MAx
Ao final do relatório apresentado desde o início da manhã desta quinta-feira (19) no plenário da Câmara de Campo Grande, os vereadores terminaram a leitura por volta das 13h e concluíram que Bernal teria cometido uma “quantidade significativa de ilicitudes e irregularidades”, cometendo os crimes de responsabilidade fiscal e prevaricação.

As infrações políticas administrativas apontadas no relatório foram de responsabilidade fiscal por não ter gerido com integridade a administração, o que levou a prefeitura a realizar inúmeros contratos emergenciais. O inquérito será encaminhado ao Tribunal de Contas, Ministérios Públicos, Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul e Controladoria Geral da União.


Minamar Junior

Segundo o relatório, lido pelo vereador Elizeu Dionizio (PSL), o crime está previsto no artigo 89 da Lei 8666. “O prefeito não respeitou a formalidade necessária nos processos licitatórios”. O crime é passível de pena de 3 a 5 anos, mais multa.

Outra infração percebida pelos vereadores é a adminssão ou vantagem ou prorrogação contratual sem autorização, além do pagamento de fatura com preterição, com pena prevista de 2 a 4 anos de prisão, mais multa.

“Além do artigo 319 do Código Penal Brasileiro, que é o crime de prevaricação, podendo acrescentar mais de três meses a um ano de detenção, além da multa”, disse o relator.

Os vereadores encontraram violações ao artigo 42 da Lei 8666, que proíbe o pagamento de empresas fora do cronograma, exceto quando justificado, além do ferimento à Lei 8429 e ao Decreto 201, de 1967.

Mais cedo, o Midiamax adiantou que o relatório final apontaria que o prefeito Alcides Bernal (PP) seria acusado pelos crimes de improbidade administrativa e prevaricação.

Os vereadores da comissão já decidiram que não vão pedir a abertura de Comissão Processante que poderá cassar o prefeito, porém ao apontar estes crimes o prefeito poderá responder na Justiça e as irregularidades também serão mandadas aos órgãos competentes.

As contratações emergenciais e sem licitações das empresas Salute, Mega-Serv e da Jagás serão parte da base de argumentação para o pedido de responsabilização do prefeito.

“As contratações emergenciais recorreram da inadimplência por parte do executivo municipal, criando assim a fabricação de cenários emergenciais e caracterizando uma cadeia de atos irregulares e ilegais provocando por consequência a inclusão de tais contratações na análise da presente investigação”, afirmou em leitura o relator Elizeu Dionízio (PSL).

Segundo o relator, as contratações emergenciais irregulares devem “imputar fator agravante e censurável à conduta do executivo municipal, sendo dever de ofício desta CPI demonstrar e solicitar, mesmo que aos órgãos competentes, a responsabilização dos agentes públicos envolvidos”.

A improbidade administrativa está descrita na Lei Federal nº 8429, de 2 de junho de 1992 e a prevaricação consiste em crime funcional, praticado por funcionário público contra a Administração Pública, em retardar, deixar de praticar ou praticar indevidamente ato de ofício ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal.

A reportagem aguarda resposta da Prefeitura de Campo Grande quanto a defesa do prefeito para tais acusações por parte dos vereadores para publicação.

(Com informações de Pio Redondo e Fernanda Kintschner)

Ouça o áudio de trecho da fala do relator responsabilizando o prefeito abaixo:

Deixe seu Comentário

Leia Também

REUNIÃO TENSA
‘Estamos preparados para ver caminhões do Exército com corpos?’, questiona Mandetta a Bolsonaro
BRASIL 117 MORTES
Casos de coronavírus no Brasil em 29 de março
FÁTIMA DO SUL - ATENÇÃO COMÉRCIO
Em novo Decreto, confira o que vai poder abrir e permanecer fechando nesta segunda em Fátima do Sul
CORONAVÍRUS NO BRASIL
Justiça suspende trecho decreto de Bolsonaro que livra igrejas de quarentena
CORONAVÍRUS NO BRASIL
Senado votará na segunda auxílio de R$ 600 para trabalhadores
TRABALHO VOLUNTÁRIO
Detentas começam confeccionar máscara de proteção para atender Jateí, Vicentina e Fátima do Sul
COVID-19 NO BRASIL
Brasil tem 92 mortes e 3.417 casos confirmados de novo coronavírus, diz Ministério da Saúde
PANDEMIA CORONAVIROS
São Paulo tem 68 mortos por coronavírus, média de uma a cada 2 horas e 20 minutos, e 1.223 casos
LINHA DE CRÉDITO
Governo lança pacote de R$ 40 bi para socorrer pequenas e médias empresas
AMOR AO PROXIMO
Xuxa vai doar R$ 1 milhão ao SUS para combate ao coronavírus