Menu
BANNER EMAGRECEDOR VICENTINA
segunda, 12 de abril de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Crédito sem taxa de aval ficará mais barato ao produtor

17 Ago 2004 - 13h27
A CPR (Cédula do Produtor Rural) a partir deste mês começa a ser operacionalizada com recursos livres e da poupança rural, sem a taxa de aval, usada por 10 anos pelo Banco do Brasil. A taxa oscilava de R$ 0,65% a 0,55%. Sem ela, os custos para o produtor ficarão menores, de 1,5% e 1,7% ao mês, inferior à taxa de 2,25% do mercado. Com as CPRs em carteira, o banco espera alavancar até R$ 4 bilhões em recursos novos para financiar o setor rural em âmbito nacional.
Até o início de agosto, o Banco do Brasil liberou R$ 136,4 milhões em crédito da CPR (Cédula do Produtor Rural) em Mato Grosso do Sul, crescimento de 35% em relação ao montante de todo o ano passado, de R$ 101 milhões, segundo gerente de Agronegócios da superintendência estadual, Carlos Werner. O prazo para liquidação dos contratos varia podendo chegar a um ano e em 90% dos casos é feita com dinheiro e não com entrega de produtos.
 
Campo Grande News

Deixe seu Comentário

Leia Também

EXEMPLAR
Cidade modelo que vacinou 64% da população vê casos de covid-19 caírem 78%.
NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições
MORTANDADE
Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registradas em um dia pela 1ª vez
COPA LIBERTADORES
Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores
FATALIDADE
Técnico de informática morre após levar choque a partir de fone de ouvido
CANALHA
Pai comete estupro e diz que filha precisa saber "como é ter um homem"
SOB INVESTIGAÇÃO
Cantor gospel e pastor é encontrado morto e amarrado em árvore
CONTAMINAÇÃO
Igrejas superam mercado e consultório médico em risco de transmissão de Covid-19, aponta estudo