Menu
SADER_FULL
domingo, 19 de setembro de 2021
Busca
Brasil

Crédito ao consumidor abre 2010 aquecido, mas deve desacelerar

1 Dez 2009 - 13h11Por Folha Online

O indicador da Serasa Experian sobre perspectiva do crédito para os consumidores registrou queda de 1,3% em outubro, a terceira consecutiva, atingindo o patamar de 104. Segundo a empresa de análise de crédito, as reduções dos últimos meses apontam que haverá alguma desaceleração no ritmo de concessões à pessoa física, que deve ocorrer no final do primeiro trimestre deste ano.

A pesquisa aponta, porém, que o indicador segue acima do nível 100, apontando que as concessões reais de crédito --com recursos livres-- ao consumidor abrirão o ano de 2010 num ritmo ainda bastante aquecido.

De acordo com a Serasa, as melhores condições de financiamentos e a maior confiança dos consumidores --impulsionada pela recuperação do mercado formal de trabalho-- ajudam a elevar o nível de empréstimos. Completam o cenário a redução da inadimplência e a prorrogação de incentivos fiscais dados pelo governo federal.

A empresa afirma que a desaceleração a parti do segundo trimestre do ano que vem deve se dar em função do descompasso entre o rápido crescimento do endividamento e um ritmo mais lento de recomposição da massa de rendimentos das famílias.

Além disso, diz, as operações de crédito imobiliário, normalmente feitas com recursos direcionados, como poupança e FGTS, deverão ter mais destaque no ano que vem, o que deve contribuir para um crescimento menos acentuado do crédito ao consumo com recursos livres.

Empresas

A Serasa divulgou ainda o indicador de perspectiva do crédito às empresas, que avançou 0,4% em outubro, a nona alta consecutiva. O número, atualmente em 99,3, se aproxima do nível 100, o que, segundo a empresa, aponta que o volume de concessões --que hoje está cerca de 6% abaixo do normal-- deve ser normalizado nos próximos seis meses.

O estudo aponta, porém, que esta recuperação não depende só de uma melhoria na inadimplência, mas de melhores condições para a captação de recursos no exterior.

"Neste sentido, o recente episódio da moratória da uma empresa estatal de Dubai pode, dependendo da dimensão de suas consequências, diminuir a velocidade de normalização das captações no exterior e, consequentemente, das concessões de crédito às empresas", afirma nota da Serasa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TSUNAMI NO BRASIL?
Brasil pode ser atingido por tsunami; entenda
SERPENTE
Rapaz de 18 anos é atacado por jararaca durante pescaria
TRIBUNAL DO CRIME
Traficantes enterram mulher viva para vingar denúncia
TEMPESTADE
Temporal derruba árvore sobre carros e deixa bairros no escuro
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: ministério registra 34,4 mil casos e 643 mortes em 24 horas
COMOÇÃO E REVOLTA
Menina de 5 anos é morta com tiro na cabeça enquanto caminhava para comprar lanche
CEF de Fátima do Sul OPORTUNIDADE
Caixa abre concurso com salários de mais de R$ 3 mil; confira
QUASE 600 MIL MORTES
Covid-19: mortes sobem para 588,5 mil e casos, para 21,03 milhões
LIÇÕES DA BÍBLIA
Uma rua de mão dupla
LATROCINIO
Dupla invade casa, tranca mulher e crianças em quarto e mata homem degolado