Menu
SADER_FULL
domingo, 26 de setembro de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
POLÍTICA

CPI da Corrupção não deveria ter sido desfeita, diz Justiça

23 Jan 2010 - 07h10Por G1

Atendendo a uma consulta da Ordem dos Advogados do Brasil do Distrito Federal, o juiz Vinícius Santos Silva esclareceu nesta sexta-feira (22) que a CPI da Corrupção da Câmara Legislativa não estava entre as instâncias atingidas por sua decisão, que afastou oito deputados distritais e anulou atos praticados por eles em torno do processo de impeachment do governador José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM).

 

Veja vídeos sobre suposto esquema de corrupção no governo do DF

 

A decisão foi publicada na quarta-feira (20) e acabou gerando uma confusão sobre a manutenção dos trabalhos da CPI criada para investigar irregularidades no governo Arruda. Já que os parlamentares citados pelo juiz haviam assinado o requerimento que criou a comissão.

 

Alegando cumprir a ordem judicial, o presidente da CPI, Alírio Neto (PPS), que pertence à base de apoio de Arruda, comunicou a dissolução do colegiado nesta quinta-feira (21).

 

Em seu despacho, o juiz da 7ª Vara da Fazenda Pública do DF afirmou que a medida judicial se refere apenas aos atos praticados nas comissões que tratam do processo contra Arruda. Ou seja, à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e à comissão especial criada para analisar os pedidos de cassação contra o governador.

 

“A inteligência da decisão está dirigida ao reconhecimento da nulidade dos atos praticados especificamente nas comissões do processo de impedimento. Não encontro possibilidade racional, séria, de se interpretar extensivamente o que decidido para alcançar situações outras, não descritas nos autos”, diz o juiz no despacho.

 

Vinícius Santos Silva classificou de ‘manobra indevida’ a tentativa do presidente da CPI da Corrupção de dissolver a comissão com base na decisão judicial.

 

“Não pode uma das partes, utilizando-se de manobras indevidas, criar, a seu bel prazer, uma segunda decisão que atenda a seus interesses. Se não está satisfeita com a resposta jurisdicional, que busque a instância superior e apresente sua irresignação. O que as partes não podem fazer é atentar contra a dignidade da Justiça”, afirma.

Depoimento

Com a manobra do presidente da CPI, a Câmara Legislativa chegou a colocar em dúvida o depoimento de Durval Barbosa, o ex-secretário de Relações Institucionais do DF e pivô do esquema de corrupção descoberto pela Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal.

 

Nessa sexta, no entanto, a própria PF já havia confirmado o depoimento de Barbosa. Segundo a assessoria, todos os procedimentos relacionados ao órgão estavam sendo adotados. Caberia apenas à própria Câmara distrital organizar o interrogatório do ex-secretário de Arruda.

Para não deixar dúvidas em torno dos próximos passos do Legislativo, o presidente em exercício da Casa, Cabo Patrício (PT), enviou um ofício ao comando da PF nesta sexta, no qual confirma o depoimento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DESASTRE AÉREO
Diretor da UPA que sofreu acidente aéreo no Pantanal morre em hospital
COVID-19
Covid-19: Brasil tem 15,7 mil novos casos e 537 mortes em 24 horas
+ AUMENTO
Gasolina sobe pela 8ª semana seguida nos postos, aponta ANP
PAN AMERICANO JUNIOR
Atleta de MS carregará as cores do Brasil no vôlei de praia nos Jogos Pan-Americanos Júnior
LIÇÕES DA BÍBLIA
Prefácio de Deuteronômio
ROTA BIOCEÂNICA
Comissão mista homologa consórcio que vai construir ponte da Rota Bioceânica em MS
CASTELO DE AREIA
Idoso casa com prostituta 35 anos mais nova e flagra com outro
DOENÇA DO SÉCULO
Servidor público é encontrado pendurado em árvore
COVID-19
Ministra de Bolsonaro testa positivo para Covid e cancela agenda em Nova Andradina
ASSUSTADOR
Homem encontra boneca na parede com bilhete misterioso: "obrigada por me libertar"