Menu
SADER_FULL
quinta, 4 de junho de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Coxim: Militares tentam controlar incêndio próximo ao Exército

29 Jul 2010 - 10h30Por Edição de Notícias
ários militares trabalham para controlar incêndio numa área próxima ao do 47º Batalhão de Infantaria, em Coxim. Com abafadores, cerca de 50 militares tentam impedir que o fogo se alastre e continue atingindo a área do Exército, que já teve três mil metros quadrados queimados.

No total, cerca de 20 mil metros quadrados já haviam sido consumidos pelo fogo, até as 20 horas desta quarta-feira (28). Ninguém sabe a causa do incêndio, que começou numa área que pertence ao município.

O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas está apenas dando apoio aos militares. Segundo informações, os bombeiros estão trabalhando com efetivo reduzido.

A única equipe de plantão, com três bombeiros, tem priorizado outros atendimentos, como acidentes.

O 5º Sub-Grupamento dos Bombeiros, que atende toda a região norte, conta 22 homens, quando o ideal seria 60, de acordo com dados apresentados recentemente pelo comandante, capitão Wagner Antônio Batista Dupin.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSUSTADOR E REAL NO BRASIL
Com uma morte por minuto, Brasil registra 1.349 mortes por coronavírus nas últimas 24h, novo recorde
JULGAMENTO
TSE julga se cassa Bolsonaro e vice a partir de terça
AUXILIO DOENÇA
Como pedir concessão e prorrogação do auxílio-doença durante pandemia
1º CASO NO BRASIL
Paciente recuperada de coronavírus no Piauí volta a ter teste positivo
VITIMAS DA COVID 19
Mãe, avó e irmão de jovem morrem por covid-19: 'essa doença é horrível'
COVID-19
Brasil registra mais de 31 mil mortes por covid-19
COISA MEDONHA
Mulher é desenterrada e estuprada um dia após ser sepultada
DOURADOS - NOVO EPICENTRO COVID-19
Dourados é novo epicentro do coronavírus em MS com mais de 300 casos confirmados
AUXÍLIO EMERGENCIAL
Caixa LIBERA 2ª parcela do auxílio de R$ 600 em contas dos beneficiários, veja os meses
ABSURDO
Médica relata ter sofrido agressões por parte de frequentadores de 'festas de corona'