Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 27 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

Correios podem ser cliente do Trem Bala, diz Bernardo

7 Jan 2011 - 16h44Por Assessoria

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse nesta sexta-feira, que o governo pode estudar a possibilidade da ECT – Empresa de Correios e Telégrafos, participar como cliente efetivo do trem de alta velocidade, um dos principais projetos do PAC 2 - Programa de Aceleração do Crescimento. Bernardo esclareceu que solicitou ao novo presidente dos Correios, Wagner Pinheiro, que inicie conversas com a Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT para discutir o projeto.

Segundo o Ministro, cerca de 80% do tráfego de serviços dos Correios estão concentrados nas áreas metropolitanas do Rio e São Paulo e portanto, com um vagão dedicado às mercadorias dos Correios, além de tirar da Via Dutra uma grande quantidade de caminhões, ainda entraria como um diferencial na formação de preços para a construção do Trem que já começaria a operar com um cliente fixo.

BANDA LARGA

Paulo Bernardo comentou ainda a intenção do governo de “massificar” o uso da banda larga no Brasil. “Estamos muito atrasados nesta questão”, destacou o Ministro. “Alguns países, como Coreia e Japão, já falam em uso intenso de internet com velocidade de 100 mega, enquanto discutimos no Brasil se podemos implantar banda larga em todo o país de menos de 1 mega”, afirmou.

Segundo Bernardo, a intenção do Ministério das Comunicações é conversar com representantes de todos os setores – pequenos provedores, empresas de telecomunicações – porque “queremos parceria, mas onde não houver interesse, o governo vai fazer por meio da Telebrás”, destacou. Entretanto, “quero deixar bem claro que a Telebrás não vai fornecer serviço de banda larga diretamente ao cidadão, mas no atacado”, disse Bernardo.

Acrescentou que não é só a população que precisa de banda larga, mas o governo também para expandir seus projetos de melhoria da gestão dos serviços como os do INSS com instalação de novas agências, além de atender a novas escolas públicas e agências bancárias em municípios e regiões carentes.

O Ministro das Comunicações destacou o novo mercado que se abre com a nova classe média. “Milhões de pessoas ascenderam socialmente com a valorização do salário mínimo nos 8 anos do governo Lula e essas pessoas estão ávidas por acesso à internet e temos que atender a este novo mercado”. Segundo Bernardo, a estratégia das empresas de telecomunicações no Brasil é o de oferecer o serviço para poucos, de maior poder aquisitivo, “um serviço caro e lento”, quando deveriam “apostar em massificar e ter uma margem menor”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SEU BOLSO
Petrobras reajusta gasolina e diesel em 5% a partir desta quarta-feira
SONHOS INTERROMPIDOS
Pais perdem filho de 7 anos em tragédia na BR-376: "Passaram o dia montando a casa para receber ele"
AUXILIO POPULAÇÃO
Governo federal aprova auxílio emergencial para 196 mil pessoas
UTI LOTADAS
13 crianças com covid estão em estado grave em Cuiabá
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Mãe descobre estupro ao desconfiar que filha de 12 anos tinha ciúmes do padrasto
VIRUS A SOLTA
Caixão com corpo que tinha identificação de risco biológico por Covid é achado em estrada
TRAGEDIA NA RODOVIA
Jovem fez vídeo antes de morrer em acidente no Paraná: 'Devagar, motora'
FATALIDADE
Padre cai de pedra em cachoeira e corpo é encontrado em poço
GANGUE DO TIJOLO
Menores entre 13 e 17 anos formam bando e fazem 'arrastão'; veja vídeo
LUZ DO DIA
Empresário é executado com três tiros dentro de carro