Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 27 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

Conseleite pode alavancar o setor leiteiro em MS

11 Fev 2011 - 16h52Por

Produtores rurais, indústrias do setor leiteiro e autoridades participaram hoje (11) de manhã, no auditório da Secretaria de Desenvolvimento Agrário, Produção, Indústria, Comércio e Turismo de Mato Grosso do Sul (Seprotur), do lançamento do Conselho Paritário de Produtores e Indústrias de Leite em Mato Grosso do Sul (Conseleite). A solenidade deu início a um importante trabalho de equalização da qualidade e do preço do produto, e propõe diminuir o conflito entre produtores e indústria.

 

O coordenador do Conseleite, Edgar Pereira, abriu a solenidade afirmando que esse é o começo do fim da estagnação do setor no Estado. “De 1996 a 2008 conseguimos um crescimento de apenas 22% enquanto o restante do Brasil alcançou a marca de 124%. Esse programa tem tudo para alavancar a produção do Mato Grosso do Sul”. Pereira também destacou a importância do Conseleite para o fim do sentimento de injustiça que tanto desanimava o produtor.

 

A metodologia do Conseleite visa, em especial, à organização da cadeia produtiva e principalmente a valorização do produto. Com a implantação do Conselho é possível traçar um valor de referência do produto que pretende representar um valor justo para a remuneração da matéria-prima leite, tanto para os produtores rurais quanto para as indústrias, levando em consideração o volume e a qualidade dessa matéria-prima.

 

Mensalmente, por meio de resoluções, o conselho divulga os preços de referência finais para o leite entregue no mês anterior e os preços projetados para o leite a ser entregue no mês em curso. O preço, no entanto, é apenas de referência, não é um preço mínimo, nem máximo e não é obrigatório. É uma referência para a livre negociação entre as partes. Cada indústria tem seu próprio mix de produtos o qual influencia a sua capacidade individual de pagamento.

 

Os preços de referencia do Conseleite são feitos com base em estudo realizado pela Câmara Técnica, a partir de sete sistemas referenciais de produção de leite no Estado de Mato Grosso do Sul. A metodologia de cálculo do custo de produção do leite, que também será publicada pelo Conseleite-MS, considerou a remuneração aos fatores de produção utilizados nas propriedades rurais (custos fixos e variáveis) da mesma forma que a realizada no cálculo dos custos industriais. Os resultados dos custos agrícola e industrial são atualizados e revisados, sempre que necessário, por deliberação do Conselho.

 

Os custos de fabricação e comercialização dos derivados foram calculados com base em levantamento censitário realizado pela instituição de pesquisa conveniada junto a todas as empresas participantes, que foi submetido à avaliação e aprovação da Câmara Técnica (Camatec) e do Conselho.  Os custos de fabricação e comercialização foram determinados para 11 derivados lácteos após ponderação, pelo volume produzido e comercializado, dos diversos tipos de embalagens. O levantamento dos dados considerou um período de 12 meses e foi o mesmo do custo agrícola. A atualização e revisão destes custos também são deliberadas pelo Conselho.

 

A presidente do sindicato setorial - Silems -, Milene Nantes, acredita que isso vai dar mais transparência ao mercado lácteo. “A nossa expectativa é conseguir diminuir o conflito entre produtores e indústria”.

 

Também presente ao lançamento, o Senador Waldemir Moka, parabenizou a todos que chegaram a esse resultado que, em sua avaliação,  possibilita “ver que é possível uma política onde todos ganham e ficam satisfeitos”.

 

A secretária Tereza Cristina afirmou que “hoje é um dia de vitória”. Para ela agora vai ser possível pagar o preço justo pelo custo da produção. “O produtor vai poder entrar no site da Famasul e do Silems e verificar o valor correto. Isso vai fortalecer muito o setor leiteiro do Mato Grosso do Sul.

 

O Conseleite é composto por representantes dos produtores rurais e dos laticínios, sendo os membros indicados pela Federação da Agricultura do Mato Grosso do Sul (Famasul) e pelo Sindicato da Indústria de Laticínios do Estado (Silems). Também fazem parte deste projeto a Universidade Estadual - Unidade de Aquidauana (UEMS) e a Universidade Federal do Paraná (UFPR).

 

Estiveram presentes a solenidade a secretária da Seprotur Tereza Cristina Correa da Costa Dias, o senador Waldemir Moka, o Coordenador do Conseleite, Edgar Rodrigues Pereira, a presidente do Sindicato da Indústrias de laticínio (Silems), Milene Nantes, o Presidente da Famasul, Eduardo Riedel,entre outros.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SUA SAÚDE
Carnes de bichos selvagens podem transmitir parasitas, vírus e até matar
SEU BOLSO
Petrobras reajusta gasolina e diesel em 5% a partir desta quarta-feira
SONHOS INTERROMPIDOS
Pais perdem filho de 7 anos em tragédia na BR-376: "Passaram o dia montando a casa para receber ele"
AUXILIO POPULAÇÃO
Governo federal aprova auxílio emergencial para 196 mil pessoas
UTI LOTADAS
13 crianças com covid estão em estado grave em Cuiabá
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Mãe descobre estupro ao desconfiar que filha de 12 anos tinha ciúmes do padrasto
VIRUS A SOLTA
Caixão com corpo que tinha identificação de risco biológico por Covid é achado em estrada
TRAGEDIA NA RODOVIA
Jovem fez vídeo antes de morrer em acidente no Paraná: 'Devagar, motora'
FATALIDADE
Padre cai de pedra em cachoeira e corpo é encontrado em poço
GANGUE DO TIJOLO
Menores entre 13 e 17 anos formam bando e fazem 'arrastão'; veja vídeo