Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 6 de dezembro de 2021
ASSEMBLEIA DEZEMBRO 2021
Busca
Brasil

Congresso mexe no Orçamento e MS fica com mais R$ 109 milhões

28 Dez 2009 - 08h18Por Fátima News, com Assessoria

Mato Grosso do Sul receberá reforço de R$ 109,5 milhões para investimentos em 2010. A dotação a que o Estado terá para realizar obras de infraestrutura, desenvolvimento agropecuário, habitação, turismo e saúde passou de R$ 320,9 milhões para R$ 430,4 milhões. Esse valor atinge R$ 567,9
milhões se somados os valores das emendas individuais, de R$ 137,5 milhões.

O aumento dos recursos das bancadas estaduais se deve a um acordo no plenário entre governo e oposição, durante votação terça-feira (22) do Orçamento da União para o próximo ano. O valor de R$ 2,616 bilhões das emendas de relator deveria ser distribuído entre as emendas coletivas. A Comissão Mista de Orçamento do Congresso concluiu o processo de transferência dos recursos sábado à noite (26).

De acordo com nota técnica divulgada pelo Congresso, o acordo estabeleceuque a distribuição dos recursos seria proporcional ao valor de cada emenda apresentada pelas bancadas estaduais. No caso de Mato Grosso do Sul, houve acréscimo de R$ 109,5 milhões nas emendas, o equivalente a 34,1%. A menor emenda passou de R$ 13,2 milhões para R$ 17,7 milhões. Já a de maior valor
saltou de R$ 55,1 milhões para R$ 73,9 milhões, aumento de R$ 18,8 milhões.

Para o coordenador da bancada federal, deputado Waldemir Moka (PMDB), a decisão de cancelar as emendas de relator foi acertada porque acabou com a destinação genérica de recursos para obras não prioritárias, ou mesmo o aporte de volume considerável de verba somente para um empreendimento.

No caso de Mato Grosso do Sul, por exemplo, o relator Geraldo Magela (PT-DF) destinou R$ 50 milhões apenas para manutenção de trechos de rodovias, já prevista nas emendas de bancada. “O cancelamento das emendas de relator permitiu que cada proposta de investimento feita pela bancada recebesse valor maior”, observou o coordenador. A bancada do Estado apresentou 15
emendas.

Moka argumenta que o orçamento de 2010 é o mais real e enxuto possível. “Apesar de todos os problemas que tivemos no início nas sub-relatorias, chegamos ao final do processo com um valor que superou nossas expectativas”, diz o coordenador, que defende modificações no Orçamento da União para obrigar o Executivo a liberar 100% dos recursos aprovados para os Estados.

Leia Também

SONHO DA MATERNIDADE
Servidora Pública perde marido para a Covid, mas realiza sonho e dá à luz trigêmeos
LIÇÕES DA BIBLIA
O céu dos céus
covid_04.12 COVID NO BRASIL
Covid-19: país tem 22,1 milhões de casos e 615,5 mil mortes
LIÇÕES DA BIBLIA
Deuteronômio em escritos posteriores
ABUSO DE AUTORIDADE
PM arrasta homem negro algemado em moto; "Como na escravidão", diz gravação
REVOLTANTE
Índia de 13 anos violentada pelo avô busca ajuda e acaba estuprada por 4 em unidade saúde
DOENTIO
Mulher descongela geladeira e encontra corpo de bebê escondido em sacola
PONTE BIOCEÂNICA
Ponte Bioceânica vai ganhar nova data de lançamento; Bolsonaro e Marito participam
AÇÕES DO GOVERNO MS
Com estados da região Sul, Azambuja quer integração ferroviária e união para redução de carbono
PIX SAQUE
Pix Saque começa hoje:comércio vê nova ferramenta como chamariz para clientes,mas teme por segurança