Menu
SADER_FULL
terça, 18 de maio de 2021
Busca
Brasil

Colômbia diz haver 87 acampamentos guerrilheiros na Venezuela

22 Jul 2010 - 15h05Por Folha Online

A Colômbia denunciou nesta quinta-feira, diante da OEA (Organização dos Estados Americanos), que há ao menos 87 acampamentos em pleno território venezuelano.

O embaixador da Colômbia no órgão, Luis Alfonso Hoyos, apresenta em uma sessão extraordinária vídeos, fotos e testemunhos que provariam que o presidente venezuelano, Hugo Chávez, tem conhecimento e permite a presença de integrantes das guerrilhas colombianas Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e Exército de Libertação Nacional (ELN) na Venezuela.

Entre os guerrilheiros, estariam o líder das Farc, Iván Márquez, o chamado chanceler Rodrigo Granda, e o líder do ELN Carlos Marín Guarín, conhecido como Pablito.

"Os acampamentos não são novos e continuam se consolidando", denunciou o diplomata colombiano, em sua exposição durante a sessão extraordinária do Conselho Permanente da OEA, em Washington, iniciada às 10h37 (11h37 no horário de Brasília) e que está em andamento.

"Não são [apenas] casas. São ao menos 87 estruturas completamente armadas em território venezuelano".

Em seu discurso, que também contou com fotos e imagens aéreas, Hoyos se concentrou nas informações sobre quatro localidades, que abrigariam os acampamentos nomeados Ernesto, Berta, Bolivariano e Jesus Santrich, situados 23 quilômetros para dentro do território venezuelano.

RELAÇÕES ESTREMECIDAS

A denúncia de Uribe, que está nas últimas semanas de mandato, voltou a complicar as relações bilaterais, a ponto de Chávez retirar seu embaixador de Bogotá e ameaçar romper relações.

A Colômbia também convocou sua embaixadora em Caracas, por causa de "todos os antecedentes e denúncias que a Colômbia vem fazendo", disse um porta-voz do governo.

A Venezuela "congelou" no ano passado todas as relações diplomáticas e comerciais com a Colômbia, em protesto contra um acordo militar entre Bogotá e Washington, que Chávez vê como uma ameaça à sua soberania.

Chávez disse que espera retomar as conversações com o país vizinho depois da posse de Juan Manuel Santos como presidente da Colômbia, em 7 de agosto. Apesar de ser sucessor do popular Uribe, Santos adotou um discurso de reaproximação com Chávez.

O venezuelano disse, contudo, que não irá à posse do novo colega por motivos de segurança.

COM AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

"Estamos mostrando porque estamos cansados de nos insultarem e que nos digam que são uma montagem", desafiou Hoyos. "Caso a Venezuela diga que essas fotos são montadas e essas informações não são verdadeiras, é fácil de verificá-las. É só visitar esses lugares, ver os caminhos, os acampamentos e, principalmente, conversar com os desmobilizados".

O diplomata afirmou ainda que todos os documentos serão disponibilizados ao secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza.

"Não permitam que, ao se esconder nesses acampamentos, eles nos tirem o sonho de viver com tranquilidade", indicou o diplomata em referência à Venezuela.

A Colômbia já levou anteriormente à OEA suas queixas sobre a suposta infiltração de guerrilheiros na Venezuela, mas é a primeira vez que Bogotá convoca uma reunião extraordinária do Conselho Permanente para discutir o tema. A reunião será na manhã desta quinta-feira, na sede da OEA em Washington.

Hoyos ressaltou mais cedo que a organização regional é um foro político e não um organismo judicial ou um tribunal de justiça. "O objetivo não é um pronunciamento enérgico, mas que os fatos sejam conhecidos, que se conheça a posição da Colômbia e que a verdade seja posta sobre a mesa", enfatizou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGÉDIA NO HARAS
Vaqueiro morre ao ser arrastado por boi durante vaquejada, em Paranatama; veja vídeo
Foto: Divulgação/Instagram LUTO NA MÚSICA
MC Kevin morre aos 23 anos no Rio de Janeiro
SONHO INTERROMPIDO
Agente educacional morta em ataque a creche em Saudades queria fazer intercâmbio no Canadá
PESQUISA PRESIDENCIAL
Datafolha mostra Lula disparado na corrida eleitoral
NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho