Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 16 de maio de 2021
Busca
Brasil

CNM prepara cartilha educativa para orientar prefeitos

30 Nov 2004 - 08h19

Cerca de 3,5 mil prefeitos do Brasil devem receber uma cartilha, preparada pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), contendo os conceitos básicos de desenvolvimento humano, IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e os principais dados sobre a situação da democracia na América Latina. O material também será entregue às cerca de 2,5 mil prefeituras ligadas à CNM.

O objetivo, segundo a confederação, é destacar junto aos prefeitos que o IDH é utilizado como um dos critérios para distribuição de recursos em vários programas do governo federal e de alguns Estados. Os administradores dos municípios mais pobres, em especial, devem ficar atentos para a possibilidade de serem beneficiados por verbas em razão desse critério, de acordo com a entidade.

A publicação faz parte de uma coleção de 16 volumes sobre gestão pública municipal, distribuída em uma série de cursos que estão sendo realizados no Brasil pela Confederação Nacional dos Municípios. A expectativa é abranger 65% dos prefeitos eleitos este ano — cerca de 3,5 mil pessoas. O volume 12, “Democracia e IDH”, foi elaborado pelo PNUD. A coleção com 16 volumes está sendo entregue gratuitamente aos administradores municipais que fazem o curso, mas depois poderá ser adquirida na CNM (R$ 150).

O livro explica o que é o índice, como ele é calculado, como ele foi adaptado para os municípios — dando origem ao IDH-M (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) — e quais outros indicadores ajudam a complementá-lo. O livreto reserva vários capítulos para discutir o conceito de desenvolvimento humano, contrapondo-o a crescimento econômico.

“Cada governo deve agir para promover o desenvolvimento humano: oferecer serviços, como a educação, por exemplo, que ampliem as capacidades e as possibilidades de escolha dos indivíduos; fazer com que a riqueza produzida seja distribuída eqüitativamente entre as pessoas; e criar espaços para que os cidadãos possam participar da construção de alternativas e decidir entre as opções existentes”, defende o texto. “Isso significa combater a desigualdade, integrar os excluídos à sociedade”.

Além disso, a cartilha condensa as principais análises do relatório A Democracia na América Latina, divulgado pelo PNUD em abril deste ano. “O Relatório sustenta que as democracias latino-americanas estão incompletas em termos de cidadania civil e, principalmente, de cidadania social”, afirma. “É necessário passar da democracia eleitoral para a democracia da cidadania, porque a qualidade da democracia sem direitos civis plenos e sem expansão dos direitos sociais é limitada. Além disso, a própria manutenção dos direitos políticos democráticos e a valorização social da democracia correm riscos se não houver a ampliação da cidadania”.

 

Assomasul

Deixe seu Comentário

Leia Também

SONHO INTERROMPIDO
Agente educacional morta em ataque a creche em Saudades queria fazer intercâmbio no Canadá
PESQUISA PRESIDENCIAL
Datafolha mostra Lula disparado na corrida eleitoral
NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada