Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 25 de setembro de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Classes C e D ainda preferem pagar contas com dinheiro

28 Set 2010 - 14h38Por Agência Estado

As classes de menor renda ainda preferem pagar suas compras com dinheiro, mostra um estudo encomendado pela MasterCard ao Instituto Ipsos, divulgado hoje. A razão, segundo a pesquisa feita em sete municípios brasileiros, é que 46% das classes C e D ainda não têm acesso aos bancos. A grande maioria das pessoas de menor renda não possui cartões: apenas 27% dos entrevistados têm cartão de débito, enquanto 25% detêm só o cartão de crédito.  

Entre as pessoas dessas classes que têm acesso a bancos, a maioria possui um cartão de débito ou crédito. Segundo a pesquisa, 80% das pessoas das classes C e D bancarizadas possuem o cartão de débito e 49% o cartão de crédito. Para tentar ganhar parte dos pagamentos feitos em dinheiro, a MasterCard resolveu fazer uma série de ações para estimular o cartão de débito. "A MasterCard enxerga enorme potencial a ser explorado com o cartão de débito no País e está fazendo algumas mudanças estratégicas que estimularão o uso, especialmente para transações de menor valor", disse um comunicado da empresa.

Entre as ações para incentivar o cartão de débito está a mudança da marca usada para o segmento "MasterCard Maestro" para "MasterCard". Além disso, a companhia vai sortear até dezembro 12 carros zero quilômetro para os clientes que fizerem ao menos três transações com cartões de débito por semana, em qualquer valor. Com os adquirentes (Cielo, Redecard e Santander), a bandeira está desenvolvendo ações para estimular a expansão da aceitação dos cartões de débito para segmentos que apresentam grande potencial de crescimento, como o de saúde, educacional e serviços.

Segundo a MasterCard, ao analisar os resultados da pesquisa, foi observado que, apesar de um porcentual relevante das classes C e D ter acesso a algum tipo de produto financeiro (como poupança e conta corrente), a maioria não utiliza esses meios. A razão, segundo a bandeira, é a falta de conhecimento dos benefícios desses produtos, como maior segurança e praticidade nos pagamentos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Motorista registrou a travessia de uma jiboia na avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. FORA DO HABITAT
VÍDEO: motorista flagra jiboia cruzando pista de avenida no RJ: 'olha isso'
Só queria que me entendessem sem preconceito! PRECONCEITO
Jovem é expulso de casa ao assumir namoro com mulher trans
Yan e um comparsa renderam mãe e filha na rua CRIMINOSO
Bandido morto pela PM arrancou família de carro e agrediu mulher uma semana antes
O diesel não sofreu reajuste. + ALTA
Gasolina sobe 4% nas refinarias, anuncia Petrobras
O total de mortes causadas por covid-19 chega a 138.108, um acréscimo de 0,6% sobre a soma de segunda Saúde
Covid-19: Brasil tem 33,5 mil novos casos e 836 mortes em 24 horas
HERANÇA PORTUGUESA
A herança portuguesa na vida cotidiana do Brasil
Os beneficiários nascidos em janeiro  3,9 milhões de pessoas  poderão sacar AJUDA FINANCEIRA
Caixa paga nova parcela do auxílio emergencial para 5,6 milhões de pessoas
o maior programa de assistência aos mais pobres no Brasil e talvez um dos maiores do mundo PRESIDENTE NA ONU
Bolsonaro diz que brasileiros receberam mil dólares de auxílio
Imagem: Reprodução/Balanço Geral Londrina FUGA EM MASSA
Presos fogem de cadeia após surto de Covid-19
Material estava dentro de uma bexiga e enrolado com fita isolante PROFUNDEZAS DO CRIME
8 celulares e outros materiais são retirados do ânus de preso