Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 13 de maio de 2021
Busca
Brasil

Cida Santos cobra explicações da paralisação de obra

10 Set 2004 - 07h49

A Vereadora Maria Aparecida dos Santos Garcia (PL), apresentou requerimento durante a Sessão da Câmara Municipal de Fátima do Sul, realizada na última quarta-feira (08), para que seja encaminhado as Sr. Celso Dal Lago Rodrigues, Phillip Guilherme Dal Lago e Dílson Deguti, para apresente junto a Câmara o porque da paralisação da obras do Frigorífico Dal Lago Ltda, localizado na Linha do Iguassu em Fátima do Sul.

A justificativa da Vereadora, é que em fevereiro deste ano, fomos procurados, pelo Prefeito Dílson Deguti, trazendo consigo o pedido formal assinado pelo empresário Dal Lago, fazendo uma exposição detalhada da viabilidade da construção deste frigorífico apresentando projeto arquitetônico aprovado na junta comercial do Estado, CNPJ na Receita Federal. Contrato de constituição de uma sociedade limitada onde consta que ?Administração da Sociedade caberá aos Senhores Celso Dal Lago Rodrigues, Phillip Guilherme Dal Lago Rodrigues, com poderes de representar a sociedade perante quaisquer repartições públicas, com toda a documentação a Câmara concedeu através da Lei nº 932/2004, de 03 de março de 2004, a isenção de Tributos Municipais do Frigorífico Dal Lago Ltda, por um período de 10 anos, além de providenciar a limpeza e terraplanagem, utilizando o maquinário a disposição da Prefeitura, ficando sob a responsabilidade da empresa beneficiaria todas as despesas com combustível e lubrificantes. Vereadores e a Sociedade de Fátima do Sul, entusiasmado e motivados para o grandioso investimento que estaria acontecendo no Município, com o abate de 200 a 300 bois por dia, gerando aproximadamente 120 empregos diretos e mais de 120 indiretos, aumento do índice do ICMS, melhoria da Saúde pública, já que a instalação de um frigorífico coíbe o abate clandestino.

No entanto quando menos esperávamos, parou a edificação da obra, caminhões saíram lotados levando todo o material e equipamentos, mais a demissão de todos os trabalhadores.

Não fomos informados porque razão tudo isso aconteceu, e somente ficamos sabendo através da imprensa, onde o Senhor Dal Lago informava que a obra parou porque o FCO no valor de (quatro de milhões e meio) não foi liberado.

Ficamos muito surpresos com esta informação primeiro porque nos foi dado a garantia de que tudo estava acertado, a obra foi lançada em grande estilo, churrasco durante todo o dia. Autoridades e povo se misturavam na grande confraternização, só que na hora de se retirarem, só ficaram as queixas, desculpas, e povo mais uma vez decepcionado, afirmou a Cida Santos.

“Assim quero ser solidária ao meu município manifestar o meu protesto por tamanho desinteresse e falta de consideração para com o município que acolheu sem reservas, de braços abertos todas as propostas apresentadas, para o progresso econômico de nossa terra”, finalizou a Vereadora.

 

 

Fátima News

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVA INFECÇÃO
Covid-19: após 3 semanas de queda, casos de coronavírus avançam no Brasil puxados por 9 Estados
TRISTEZA NA FAMILIA
Seis pessoas da mesma familia morrem vítimas da Covid-19
NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada
TERROR NA CRECHE
Sob forte emoção moradores de Saudades realizam velório coletivo das vítimas do ataque à creche
CHEGANDO FORTE
Frio chega com força e provoca geada no Sul