Menu
SADER_FULL
segunda, 2 de agosto de 2021
Busca
Brasil

Chile: alguns mineiros podem ter alta hoje, dizem médicos

14 Out 2010 - 18h15Por Redação Terra
Os 33 trabalhadores resgatados no Chile após ficarem soterrados desde o dia 5 de agosto em uma mina no norte do país se recuperam "rapidamente" e "dois ou três" deles podem receber alta ainda nesta quinta-feira, disseram os médicos que os atendem no Hospital de Copiapó.

Segundo fontes do Palácio de la Moneda, o presidente chileno, Sebastián Piñera, visitou também nesta quinta-feira os mineradores no centro médico e esteve, pela primeira vez, com todos eles ao mesmo tempo.

"Calculamos que às 16h (horário local e de Brasília) alguns mineradores podem receber alta, talvez dois ou três", disse o subdiretor do hospital, Jorge Montes, em uma entrevista coletiva em conjunto com o ministro chileno da Saúde, Jaime Mañalich. A previsão inicial era de que os trabalhadores ficariam 48 horas no hospital.

"Os dois dias previstos anteriormente se referem a uma situação padrão, mas a alta médica é depende da equipe médica e do estado de cada paciente. A maioria dos mineradores se comportou muito bem do ponto de vista clínico", disse, explicando ainda que todos "se acostumaram muito bem à luz natural" e "suportaram de forma notável o estresse".

"Nenhum deles entrou em estado em choque e ninguém quis deixar o hospital mais cedo", assegurou Montes. Segundo o médico, os primeiros a deixar o hospital não obedecerão necessariamente à ordem de chegada.

Desmoronamento
Em 5 de agosto, um desmoronamento na mina San José, em Copiapó, deixou 33 trabalhadores presos em uma galeria a quase 700 m de profundidade. Após 17 dias, as equipes de resgate conseguiram contato com o grupo e descobriram que estavam todos vivos por meio de um bilhete enviado à superfície. A partir daí, começou a operação para retirá-los da mina em segurança.

A escavação do duto que alcançou os mineiros durou 33 dias. O processo terminou no dia 9 de outubro, sábado, quando os martelos das perfuradoras chegaram até o abrigo onde eles estavam. Concluída esta etapa, as equipes de resgate decidiram revestir o duto - ainda que parcialmente - para aumentar a segurança antes de retirá-los. Este trabalho terminou no domingo pela manhã.

Depois de muitos testes, o esforço final de resgate teve início às 23h19 de terça-feira, 12 de outubro, quando a cápsula desceu pela primeira vez ao refúgio dos mineiros carregando o socorrista Manuel González - e durou menos de 24 horas. Os trabalhos terminaram às 21h55 da quarta-feira, dia 13. A missão durou pouco menos da metade do tempo estimado pelas autoridades, que era de 48 horas.

Os trabalhadores foram içados dentro da cápsula Fênix II, que tem 53 cm de diâmetro. Durante todo o percurso de subida, eles tinham suas condições de saúde monitoradas, usaram tubos de oxigênio e se comunicaram com as equipes da superfície por meio de microfones instalados nos capacetes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CÃOPAINHA
Cachorro toca campainha após ficar trancado fora de casa
SONHO INTERROMPIDO
Ultimo ensaio fotográfico minutos antes de médico sofrer choque e morrer nas vésperas de casamento
OLIMPÍADA
Rebeca é prata e faz história na ginástica olímpica em Tóquio
FENÔMENO DA NATUREZA
Chuva de meteoros será visível na madrugada de quinta para sexta em todo Brasil
A CASA CAIU
Mulheres se unem e surram "valentão" flagrado agredindo ex no meio da rua
CRISE HÍDRICA
Novas fontes preparam MS para a crise hídrica, ressalta governador
ABAIXO DE ZERO
Com -8,6°C, SC registra a menor temperatura do Brasil em 2021, diz Inmet
COVID-19
Em dia de aumento de casos Brasil tem 1.333 óbitos por Covid - 19 nas últimas 24 horas
CONCURSO PÚBLICO
Caixa Econômica convocará 9 mil de concursos e abre mais mil vagas
BRASIL - 550.502 MORTES
Covid-19: país ultrapassa 550 mil mortes e tem 19,7 milhões de casos