Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 9 de agosto de 2022
SADER_FULL
Busca
ECONOMIA

Cesta básica teve decréscimo de 3,26%

8 Jan 2010 - 09h55Por Redação Fátima News

O índice da Cesta Básica Alimentar Individual em Campo Grande registrou um decréscimo de 3,26% no mês de dezembro de 2009 em relação ao mês anterior. No último mês do ano o custo foi de R$ 199,85, contra R$ 206,59 em novembro. O resultado consta da avaliação divulgada ontem pela a Secretaria de Meio Ambiente, do Planejamento, da Ciência e Tecnologia (Semac).
As variações acumuladas registraram percentuais nos últimos 12 meses de -5,77%, e nos últimos seis meses, de -6,11%.
A pesquisa no mês de dezembro assinalou que dos 15 produtos que compõem a Cesta Básica Alimentar, dez registraram quedas: tomate 15,25%; batata 14,58%; feijão 13,73%; margarina 4,37%; óleo 4,03%; leite 3,90%; carne 3,35%; macarrão 2,52%; banana 1,36% e açúcar cristal 0,68%. Três produtos acusaram alta de preço: sal 8,57%; alface 3,76% e laranja 0,99%. Pão e arroz mantiveram seu preço inalterado.
A intensificação da colheita do tomate aumentou a oferta, gerando queda de preço em 15,25%. O aumento do volume ofertado da batata devido ao período de safra diminuiu o preço em 14,58%.
As chuvas e enchentes que atingiram o principal estado produtor de sal do país - Rio Grande do Norte - afetaram a produção de sal nacional, aumentando o preço do produto em 8,57%. Com a chegada do verão aumenta o consumo da laranja, o que diminui os estoques no mercado atacadista, provocando aumento de preço em 0,99%.
Em todo o ano de 2009 os produtos da Cesta Individual que apresentaram altas foram: açúcar cristal, batata, sal, alface, óleo, leite e banana. As maiores quedas foram assinaladas para os produtos: feijão, carne, margarina, arroz, macarrão, tomate e laranja.
Quanto à renda, a pesquisa constatou que o trabalhador que recebe um salário mínimo de R$ 465,00 comprometeu, em dezembro/09, a menor porcentagem do ano, 42,98%, do seu salário para aquisição da Cesta Alimentar, restando R$ 265,15 para atender às outras necessidades básicas como: água, energia, saúde, serviços pessoais, vestuários, lazer e outros. A maior porcentagem ocorreu em janeiro/2009, com o comprometimento de 51,05%.

Familiar
Em dezembro, o custo da Cesta Básica Familiar (até cinco indivíduos) registrou a importância de R$ 958,93. No levantamento anterior, o valor foi R$ 965,87, resultando em uma variação negativa de 0,72%. A variação acumulada no ano foi de 4,65%, nos últimos seis meses de 1,39%.
Dentre os 44 produtos pesquisados que compõem a Cesta Familiar, 23 apresentaram queda de preço, 13 apresentaram alta e oito produtos mantiveram o preço inalterado.
No grupo Alimentação (32 produtos), a pesquisa constatou a queda de 0,78%, em destaque: tomate 15,30%; batata 14,55%; feijão 13,77%; cebola 12,33%; trigo 8,92%; alho 5,48%; margarina 4,29%; café 4,13%; óleo 4,01% e leite 3,89%. Os produtos com as maiores altas foram: cenoura 17,13%; couve 6,70%; sal 6,21%; mamão 5,69%; alface 3,78%; laranja 0,99%; mandioca 0,96% e abobrinha 0,37%. Os produtos que não registraram alteração de preços foram: pão francês; queijo; fubá; manteiga; arroz e peixe.
O feijão esteve em promoção em alguns estabelecimentos pesquisados, devido ao aumento de estoque ocasionado pela boa safra, fator que diminuiu o preço em 13,77%. A cebola está no período de safra aumentando o volume ofertado no mercado interno ocasionando queda de preço (12,33%). Já a cenoura está na entressafra, o que causa alta de preço (17,13%). Couve (6,70%) e alface (3,78%) tiveram quebra de produção devido ao volume de chuvas, e conseqüente aumento de preço.
O Grupo Higiene Pessoal (cinco produtos) registrou uma variação negativa de 0,46%. Os produtos que registraram queda foram: papel higiênico 3,57%; dentifrício 2,26% e absorvente 1,27%. Os produtos que acusaram altas foram: sabonete 4,92% e lâmina de barbear 1,44%.
O Grupo Limpeza Doméstica (sete produtos), assinalou uma alta de 0,59%, destacando os seguintes produtos: sabão em pó 1,99%, cera em pasta 1,74% e água sanitária 0,75%. Os produtos que apresentaram queda de preço foram: esponja de aço 2,00% e sabão em barra 1,45%. Desinfetante e detergente não registraram alteração de preço.
Em termos de renda versus salário-mínimo, a pesquisa verificou que houve um comprometimento de 41,24% do valor total da renda familiar, considerando cinco salários mínimos, R$ 2.325,00, para atender uma família composta por cinco pessoas. O trabalhador para adquirir a Cesta Básica Familiar em 2009, manteve um comprometimento entre 40,67% e 44,55% da sua renda, sendo sua variação anual 4,65%.

Leia Também

TENTATIVA DE ASSASSINATO
Coroinha é esfaqueado no pescoço durante missa em igreja
AUXILIO CAMINHONEIRO
Caixa libera consulta ao Auxílio Caminhoneiro
VAMOS AJUDAR - COMPARTILHE
Casal que adotou 3 irmãos autistas vítimas de maus-tratos comove internautas
DESUMANIDADE
Polícia interdita casa de repouso por tortura e sequestro de idosos
DENUNCIADO POR VIZINHOS
Mãe e filho são executados e corpos escondidos dentro de sofá velho jogado em lote baldio
AUXILIO BRASIL
Governo amplia Auxílio Brasil e mais 23,7 mil famílias vão receber em MS
ASSASSINATO
Campeão mundial de jiu-jitsu, Leandro Lo morre após levar tiro na cabeça
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil registra 261 óbitos e 40,4 mil casos em 24 horas
LENDA DO HUMORISMO
Jô Soares morre em São Paulo aos 84 anos
A CONTA GOTAS
Petrobras anuncia corte de R$ 0,20 no preço do diesel