Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 11 de maio de 2021
Busca
Brasil

Cerrado de MS pode desaparecer em 26 anos

17 Ago 2004 - 15h52
Com o desmatamento estimado de 2,6 campos de futebol por minuto, o cerrado de todo Brasil pode desaparecer até 2030. Levantamento feito pela Ong (Organização Não-Governamental) ambientalista Conservação Internacional indica que 57% dos 204 milhões de hectares originais do cerrado já foram completamente destruídos. Outro dado que preocupa os ambientalistas é que a metade das áreas remanescentes está bastante alterada, podendo não mais servir à conservação da biodiversidade.
Conforme o estudo, que foi feito a partir de imagens satélites, a taxa anual de desmatamento no bioma é três milhões de hectares/ano, nível considerado alarmante pelos especialistas. A expansão da fronteira agrícola, as queimadas e o crescimento não planejado das áreas urbanas são os principais motivos da redução do bioma.
Os Estados que mais sofrem com o desmatamento são Mato Grosso do Sul, Goiás e Mato Grosso. As regiões do triângulo mineiro e oeste da Bahia também apresentam uma grande devastação.
 
CAmpo Grande News

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVAS REGRAS
WhatsApp: o que acontece se você não aceitar novas regras do aplicativo até 15 de maio
FAMOSIDADES
Pai da campeã do 'BBB 21' Juliette vive em casinha de barro na Paraíba
CACHAÇA
Jovem enfia garrafa no ânus durante bebedeira e vai parar no hospital
ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada
TERROR NA CRECHE
Sob forte emoção moradores de Saudades realizam velório coletivo das vítimas do ataque à creche
CHEGANDO FORTE
Frio chega com força e provoca geada no Sul
TERROR EM CRECHE
Jovem invade escola e mata três crianças e duas funcionárias
PÉSSIMA PROJEÇÃO
Covid-19: Brasil deve alcançar 575 mil mortes em 1º de agosto, diz instituto