Menu
SADER_FULL
terça, 13 de abril de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Cerca 30% das prefeituras terão problemas com gastos

13 Out 2004 - 13h34
Cerca de 30% das 77 prefeituras de Mato Grosso do Sul deverão ter problemas com as contas públicas no final do mandato. A estimativa é do presidente do TCE (Tribunal de Contas do Estado), José Ancelmo dos Santos, que vê com particular preocupação a situação das prefeituras cujos dirigentes foram reeleitos. Isso ocorreu em 17 das 42 cidades onde os prefeitos tentaram novo mandato.
O argumento do presidente é que nas demais cidades, os prefeitos eleitos já analisarão os dados na transição e terão interesse em trazer à tona o que houver de errado. Para preparar os futuros prefeitos aos cuidados com a administração, o TCE promoverá reunião com eles em novembro, já na nova sede, que será inaugurada no dia 15.
José Ancelmo diz que não seria ético revelar quais prefeituras apresentam problemas com os gastos. Ele só admite que motivam preocupação aquelas em que houve cassação de prefeito. É o caso de Bandeirantes, Ivinhema, Ribas do Rio Pardo e Selvíria. Coronel Sapucaia e outro exemplo. Eurico Mariano foi cassado recentemente e o tribunal já enviou equipe para verificar as contas do Executivo municipal.
Ao contrário do ano passado, o TCE não vai divulgar a relação de prefeituras que estão com as contas irregulares, como estava programado para ocorrer em agosto. O presidente argumentou que houve questionamento por parte de municípios e o poder reconheceu que havia erros na definição de irregularidades que estão sendo analisados. Não há previsão para divulgação. Sobre situações que tragam prejuízos às contas públicas, José Ancelmo diz que o TCE repassará ao MPE (Ministério Público Estadual).
O presidente lembra que a gestão atual será a primeira em que a LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal) irá impor todo o seu rigor, inclusive prisão. Para José Ancelmo, a consciência disso deixou prefeitos mais vigilantes.
As ações “drásticas” como corte de pessoal e de serviços por prefeitos não reeleitos para adequar as contas em final de mandato foram analisadas por ele como “medidas emocionais”, algumas amparadas por lei, lembrou.
 
 
Campo Grande News

Deixe seu Comentário

Leia Também

DESESPERADOR
Covid-19: Brasil registra 3.808 mortes em 24 horas
EXEMPLAR
Cidade modelo que vacinou 64% da população vê casos de covid-19 caírem 78%.
NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições
MORTANDADE
Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registradas em um dia pela 1ª vez
COPA LIBERTADORES
Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores
FATALIDADE
Técnico de informática morre após levar choque a partir de fone de ouvido
CANALHA
Pai comete estupro e diz que filha precisa saber "como é ter um homem"
SOB INVESTIGAÇÃO
Cantor gospel e pastor é encontrado morto e amarrado em árvore