Menu
SADER_FULL
domingo, 9 de maio de 2021
Busca
Brasil

Censo visitará 58 milhões de casas a partir de domingo em todo Brasil

29 Jul 2010 - 05h39Por R7

A partir do próximo domingo (1º), mais de 192 mil funcionários do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) vão visitar cerca de 58 milhões de casas por todo o país. Os recenseadores vão reunir informações para o Censo 2010 – uma pesquisa exaustiva que deve coletar dados de toda a população brasileira.

 

O presidente do IBGE, Eduardo Nunes, que visitou a Rede Record nesta quarta-feira (28), disse que um dos maiores desafios para os recenseadores será o de ser atendido pelos moradores, por questão de segurança. Ele indica uma série de fatores que vão permitir a identificação dos funcionários, como colete oficial, aparelho de coleta de dados (semelhante a um celular ou computador de bolso) e documento de identidade (com nome e foto). Um número de telefone gratuito – 0800-7218181 – poderá ser usado para confirmar a identidade do entrevistador.

Sobre o medo dos entrevistados em relação ao uso das informações, Nunes explica que elas são criptografadas (gravadas em código no aparelho).

- Além disso, existe o sigilo estatístico e, por lei, o IBGE não pode divulgar nenhuma informação pessoal. Nada do que for obtido em levantamento estatístico pode ser usado contra o cidadão. O direito processual não aceita isso como prova.

Isso significa que ninguém precisa temer, por exemplo, relatar um valor de renda maior ou menor do que o declarado no Imposto de Renda, porque não será feita a comparação.

Quem não tiver tempo de responder às questões (processo que pode demorar de cinco a 30 minutos) ou preferir não atender o recenseador, poderá participar da pesquisa pela internet, no portal do IBGE, usando uma senha entregue em envelope lacrado pelo recenseador.

O diretor executivo de relações institucionais do Grupo Record, Zacarias Pagnanelli, disse que os meios de comunicação tem um papel importante de informar a população sobre os procedimentos do Censo.

- É fundamental que os meios de comunicação divulguem incessantemente o Censo durante a coleta de dados. 

Mudanças no Censo

Em relação às últimas pesquisas, a deste ano terá mudanças importantes. O IBGE não vai mais perguntar quem é o “chefe da família”, porque entende que, atualmente, cada vez mais as responsabilidades são compartilhadas. Segundo o presidente do IBGE, as informações sobre as mulheres eram, muitas vezes, deixadas de fora. Agora, será perguntado sobre a quantidade de pessoas que respondem pela renda familiar e as relações de parentesco, em relação a um dos membros da casa.

Este ano, os casais homossexuais poderão se identificar desta forma. Outra alteração diz respeito às questões sobre raça e cor, que serão feitas a todos os brasileiros e não mais por amostragem.

 

Esse será o primeiro Censo totalmente informatizado. Os dados registrados nos aparelhos dos recenseadores serão transmitidos para uma central de processamento. O orçamento para toda operação está calculado em R$ 1,677 bilhão.

A coleta de informações será feita de agosto a outubro e as estatísticas devem ser divulgadas ainda este ano. Os primeiros resultados serão apresentados pelo instituto ao TCU (Tribunal de Contas da União) no final de novembro, para definição das fatias de destino do Fundo de Participação dos Municípios.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada
TERROR NA CRECHE
Sob forte emoção moradores de Saudades realizam velório coletivo das vítimas do ataque à creche
CHEGANDO FORTE
Frio chega com força e provoca geada no Sul
TERROR EM CRECHE
Jovem invade escola e mata três crianças e duas funcionárias
PÉSSIMA PROJEÇÃO
Covid-19: Brasil deve alcançar 575 mil mortes em 1º de agosto, diz instituto
SONHO INTERROMPIDO
Jovem perde noivo para a Covid-19 no dia do casamento: 'Nossos sonhos ficaram para trás'
PANDEMIA CORONAVIRUS
Triste número: Brasil ultrapassa 400 mil mortes por Covid-19
REVOLTA
Pastor zomba da fé dos indígenas Trukás que revoltados quebram templo em construção; veja o vídeo