Menu
SADER_FULL
domingo, 23 de fevereiro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Censo identifica perfil de trabalhadores de laboratórios de vigilância

10 Jun 2010 - 14h33Por Anvisa

As mulheres são a grande maioria dos trabalhadores de laboratórios em vigilância sanitária. Juntas, elas representam aproximadamente 70% do contingente nacional. É o que revela o Censo Nacional dos Trabalhadores dos Laboratórios de Vigilância Sanitária.

 

 

A pesquisa, uma parceria da Anvisa com o Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia e o Instituto Nacional de Controle da Qualidade em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (INCQS/Fiocruz), foi realizada entre os meses de dezembro de 2008 e fevereiro de 2009. Além de retratar a força de trabalho laboratorial da vigilância sanitária, o levantamento buscou identificar o perfil profissional e as especificidades de cada região.

 

 

A região Sudeste, por exemplo, concentra o maior número de trabalhadores: 58%. Só no Rio de Janeiro estão 27,8% do pessoal e em São Paulo 21,9%.   A maioria dos profissionais do país tem curso superior completo, predominando as graduações em Farmácia, Biologia e Química. A esfera estadual é a que concentra a maior porcentagem de profissionais de nível superior (52,1%). A esfera federal possui 45,8%, enquanto os municípios têm 32,2%.

 

 

De acordo com a diretora da Anvisa, Maria Cecília Brito, a resposta à pesquisa superou as expectativas e mostrou que os laboratórios contam com um corpo de profissionais altamente especializados. “Este Censo é importante porque a vigilância sanitária começa a reconhecer os laboratórios de qualidade em saúde com entes estratégicos na garantia da saúde da população”, explica a diretora. Maria Cecília destaca que as informações levantadas também serão importantes para os estados e municípios planejarem as necessidades futuras dos laboratórios e a renovação da mão de obra que deve se aposentar nos próximos anos.

 

 

A pesquisa identificou ainda uma força de trabalho experiente: mais de 60% têm idade superior a 40 anos. Destes, 33,7% encontram-se na faixa etária entre 40 e 49 anos e 25,6% entre 50 e 59 anos.

 

 

Metodologia

 

 

A coleta de dados foi via web (utilizou o programa FORMSUS/DATASUS) e incluiu identificação, instrução, situação funcional, relação com o trabalho, saúde do trabalhador e aptidão analítica.

 

 

O levantamento abrangeu os integrantes do INCQS, dos Laboratórios Centrais de Saúde Pública (Lacen), suas unidades vinculadas e os profissionais dos laboratórios municipais. Foram identificados 72 laboratórios de saúde pública que atuam em vigilância sanitária, um federal, 27 estaduais, 36 regionais e oito municipais, abrangendo um total de 1777 trabalhadores. Destes, 89% participaram da pesquisa.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CARNAVAL E TURISMO
Carnaval: Veja 6 destinos para descansar e contemplar as belezas de MS
VICENTINA - RAÇA NEGRA TÁ VINDO
Em noite de Feira Livre, prefeito surpreende e anuncia Raça Negra para o aniversário de Vicentina
TURISMO NO MS
Descubra a beleza das praias de água doce para curtir o Carnaval em MS
CARNAVAL 2020
Por WhatsApp, Witzel convida Bolsonaro para assistir a desfiles do carnaval no seu camarote
DICAS DE SEGURANÇA
Saia de viagem neste feriado e deixe sua casa segura com as dicas da Polícia Civil
GUGU LIBERATO
Defesa diz que Gugu Liberato deu 500 mil dólares a Rose Miriam e mansão de R$ 6 mi
LUTO NO CINEMA
Morre aos 83 anos José Mojica Marins, o lendário Zé do Caixão
FAMOSIDADES
Pós-parto: Andressa Miranda faz revelações sobre sexo com Thammy Miranda
CONCURSO DO EXERCITO
Concurso Exército: Saiu o edital com 1.100 vagas para nível médio
BOLSONARO
Bolsonaro diz que imprensa poderia ser um partido: ''Ia ficar à esquerda''