Menu
SADER_FULL
terça, 29 de setembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ZANZI
Brasil

Caso Erenice Guerra paralisa votações no Senado Federal

20 Out 2010 - 14h19Por Folha Online

As acusações de corrupção na Casa Civil paralisaram nesta quarta-feira as votações nas comissões do Senado. Sem acordo com os governistas para votar os convites para a ex-ministra Erenice Guerra (Casa Civil) e a candidata Dilma Rousseff (PT) prestarem depoimentos na Casa, a oposição impediu a retomada dos trabalhos.

Autor dos convites, o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) não aceitou recomeçar as votações na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) sem incluir os requerimentos de Dilma e Erenice.

"O que deseja o governo é proteger-se até as eleições. E depois sem a preocupação do desgaste político os governistas tentarão rejeitar a proposta e levar o assunto ao esquecimento", disse.

O presidente da CCJ, senador Demóstenes Torres (DEM-GO), se mostrou disposto a retomar as votações mesmo sem analisar os convites. Após consultar Dias, porém, a comissão acabou por paralisar os trabalhos. "O Álvaro quis impor um desgaste político, ficamos sem votar de novo."

Sem o compromisso de não votar os convites, os governistas esvaziaram a sessão. A exemplo da CCJ, não houve quorum (número mínimo de senadores) para abrir as sessões nas outras comissões da Casa. Como Dilma e Erenice não são mais ministras, elas podem ser apenas convidadas a falar. Não cabe convocação obrigatória pela Casa.

O filho da ex-ministra e a empresa Capital Assessoria e Consultoria Empresarial, à qual é ligado, são acusados de fazer lobby para ajudar a MTA Linhas Aéreas a obter a renovação de uma concessão da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). A renovação permitiu, depois, que a empresa assinasse um contrato em condições privilegiadas com os Correios.

Reportagem publicada hoje pela Folha mostra que o esquema de tráfico de influência comandado por Israel Guerra usava não apenas a estrutura da Casa Civil mas também a de pelo menos outros dois órgãos da Presidência da República: a SAE (Secretaria de Assuntos Estratégicos) e o GSI (Gabinete de Segurança Institucional).

Computadores e funcionários dessas outras duas repartições foram utilizados pelo grupo de amigos de Israel Guerra, que era peça central do contato de empresários com negócios do governo --cobrando uma "taxa de sucesso" pelo tráfico de influência.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Motorista registrou a travessia de uma jiboia na avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. FORA DO HABITAT
VÍDEO: motorista flagra jiboia cruzando pista de avenida no RJ: 'olha isso'
Só queria que me entendessem sem preconceito! PRECONCEITO
Jovem é expulso de casa ao assumir namoro com mulher trans
Yan e um comparsa renderam mãe e filha na rua CRIMINOSO
Bandido morto pela PM arrancou família de carro e agrediu mulher uma semana antes
O diesel não sofreu reajuste. + ALTA
Gasolina sobe 4% nas refinarias, anuncia Petrobras
O total de mortes causadas por covid-19 chega a 138.108, um acréscimo de 0,6% sobre a soma de segunda Saúde
Covid-19: Brasil tem 33,5 mil novos casos e 836 mortes em 24 horas
HERANÇA PORTUGUESA
A herança portuguesa na vida cotidiana do Brasil
Os beneficiários nascidos em janeiro  3,9 milhões de pessoas  poderão sacar AJUDA FINANCEIRA
Caixa paga nova parcela do auxílio emergencial para 5,6 milhões de pessoas
o maior programa de assistência aos mais pobres no Brasil e talvez um dos maiores do mundo PRESIDENTE NA ONU
Bolsonaro diz que brasileiros receberam mil dólares de auxílio
Imagem: Reprodução/Balanço Geral Londrina FUGA EM MASSA
Presos fogem de cadeia após surto de Covid-19
Material estava dentro de uma bexiga e enrolado com fita isolante PROFUNDEZAS DO CRIME
8 celulares e outros materiais são retirados do ânus de preso