Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 11 de julho de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Cantor Leonardo é condenado a indenizar corretor

31 Ago 2004 - 15h43
O cantor Leonardo foi condenado a indenizar em R$ 100 mil um corretor de imóveis por danos morais. A decisão, em primeira instância, foi proferida pelo juiz da 29ª Vara Cível de Belo Horizonte, Luiz Carlos Gomes da Mata e publicada no "Diário Oficial" de Minas Gerias nesta terça-feira. Leonardo vai recorrer da decisão (leia abaixo).

Roosevelt Cássio/FI
O cantor Leonardo


Na ação, o corretor de imóveis Bráulio Quintino dos Santos pede indenização de R$ 1 milhão por danos morais e R$ 3,7 mil por danos materiais.

De acordo com o processo, o cantor foi contratado como uma das principais atrações da Festa do Frango, em Pará de Minas (MG), em 1998. Ele deveria se apresentar no dia 7 de setembro, mas chegou ao local do show com cerca de cinco horas de atraso.

Quando subiu ao palco, Leonardo foi insultado e vaiado pela platéia, indignada com o atraso. Ainda segundo o processo, o cantor revidou a vaia fazendo gesto "obsceno e grosseiro" para o público. O fato foi registrado por um cinegrafista e divulgado em emissoras de TV da região no dia seguinte.

O corretor de imóveis alega que o diretor da TV Integração, responsável pelas imagens, Júlio Guimarães Ferreira, foi procurado pela produtora Sunshine, que cuida da carreira de Leonardo, que pretendia comprar a fita.

Santos foi indicado por Ferreira --seu colega-- como "empresário de renome e pessoa de sua confiança" para a negociação da venda da fita. Ele conta que foi acertado o valor de R$ 80 mil e definido que a venda seria concretizada no escritório do advogado do cantor, Carlos Alberto Azevedo, em Belo Horizonte.

No dia da negociação, Santos foi surpreendido por policiais assim que entrou no escritório. O corretor foi preso em flagrante sob a acusação de extorsão e ficou detido por cinco dias.

Ofensa

No processo, o corretor alega que foi ofendido moralmente e que sua reputação profissional foi atingida pela prisão, o que lhe causou danos morais e materiais. Santos afirmou ainda que foi absolvido da ação penal que respondeu, o que, para ele, comprova a sua inocência.

Em sua decisão, o juiz Luiz Carlos Gomes da Mata reconheceu, em parte, o direito de Santos em ser indenizado. Ele citou as cópias do processo criminal em que o corretor foi absolvido e as provas apresentadas no processo cível.

O juiz destacou a fita com a gravação telefônica das conversas entre o corretor e o empresário do cantor. Para o juiz, "tais conversas se deram em tom amistoso, não havendo, em momento algum, ameaça ao cantor".

O juiz ainda observou que pelos depoimentos prestados o fato já havia repercutido em todo o Estado e até nacionalmente, "não havendo como tal fita ameaçar ainda mais a carreira do cantor". O juiz explicou ainda que a conduta do corretor em negociar em dinheiro a entrega da fita, "apesar de moralmente reprovável, não constitui extorsão, haja visto a inexistência de grave ameaça ao cantor".

Da Mata reprovou também a conduta do artista, que "após chegar com horas de atraso em seu compromisso de trabalho, deixando ansioso o público, se dirigiu a este fazendo gestos obscenos".

Outro Lado

A reportagem da Folha Online ouviu o advogado do cantor Leonardo, Carlos Alberto Azevedo, que sustenta a tentativa de extorsão por parte de Santos. Azevedo ressaltou que o STF (Supremo Tribunal Federal) determinou que a Justiça de Minas Gerais acatasse a denúncia apresentada pelo Ministério Público contra o corretor de imóveis.

"O STF determinou que a denúncia fosse acatada porque entendeu que havia indícios do crime", disse Azevedo. O advogado também afirmou que não houve irregularidade na prisão de Santos e o fato de ele ter sido absolvido do processo penal, não lhe daria direito a indenização.

Azevedo também disse que o atraso na apresentação de Leonardo foi causado pela chuva que atingia a região no dia do show. Ele negou que o cantor tenha feito gesto obsceno para o público, e sim para o cinegrafista.

O advogado informou ainda que o cantor não foi notificado sobre a decisão do juiz da 29ª Vara Cível de Belo Horizonte, mas afirmou que vai recorrer da sentença.
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

VÍTIMAS DE COVID-19
Mãe de médico morre horas após o filho e dois dias após o pai, vítimas da covid
VÍTIMA DE COVID-19
Covid tira de cena um dos últimos montadores do carro brasileiro
CD TRIBUTO AO PADRE ZEZINHO
No ano em Padre Zezinho faz 79 anos, Manoel Caires lança seu primeiro CD 'Tributo ao Padre Zezinho'
PAGAMENTO DO AUXILIO
Confira o calendário para saque em dinheiro do auxílio emergencial
AUXILIO EMERGENCIAL
Governo vai liberar mais 1,5 milhão de auxílios. Saiba como reclamar se o seu for negado
NÚMEROS DA ÚLTIMAS 24H
Os números da covid-19 no Brasil, atualizados diariamente
RECUPERAÇÃO
Dinho Ouro Preto revela sequelas após covid-19, ele já teve gripe suína e dengue
SOS SAUDE
Em 24 horas, nove pessoas morrem em casa pela covid-19 sem atendimento médico
BORA PRA BONITO - MS???
Bonito (MS) irá operar com tarifa de baixa temporada até 18 de dezembro e descontos de até 60%
BONITO - MS - REABERTURA COM SEGURANÇA
Hotel Águas de Bonito te espera com toda segurança e responsabilidade, bora pra Bonito (MS)?