Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 26 de outubro de 2021
Busca
Brasil

Candidatos criticam ausência de Lula no debate

29 Set 2006 - 07h18
O último debate entre os presidenciáveis antes do primeiro turno, que aconteceu na noite desta quinta-feira nos estúdios da Rede Globo, no Rio de Janeiro, foi marcado pelas críticas à ausência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à reeleição pelo PT, e ao seu governo.

O tucano Geraldo Alckmin lamentou a ausência de Lula, afirmando ser um desrespeito ao eleitor que precisa de informação. Alckmin declarou que "não é possível" que o Brasil continue tendo "maus-exemplos". Disse ainda que a ausência de Lula é uma "visão autoritária" e que o presidente não quer prestar contas à população.

Já a senadora Heloísa Helena (Psol) foi mais incisiva. Ela declarou que o presidente não desceu do seu "trono de corrupção e arrogância" porque não teria "autoridade moral". Ela chamou, mais uma vez, o partido do presidente, o PT, de "organização criminosa" e afirmou que Lula não foi ao programa porque não queria "bater-boca" com outro candidato (em referência a Alckmin) para ver quem tinha "roubado mais ou menos no passado ou no presente".

O senador Cristovam Buarque (PDT) dirigiu a primeira pergunta da noite a Lula, o que estava previsto nas regras do debate. Ele quis saber se, caso comprovadas as denúncias de corrupção em seu governo, o presidente renunciaria. No segundo bloco, o pedetista lembrou os escândalos que envolveram o governo e o PT e afirmou que a ausência de Lula também foi um "ato de corrupção à democracia". Ele voltou a questionar o que aconteceria se, após as eleições, forem comprovadas algumas das denúncias - um novo impeachment ou uma renúncia -, e pediu que os eleitores levem a disputa para o segundo turno.

A candidata Heloísa Helena também dirigiu uma pergunta ao presidente, levando a platéia ao riso, e questionou se ele realmente acreditava que alguém faria "baixaria" ou usaria palavras de baixo calão no debate. Segundo ela, quem estaria se sentindo agredido é o povo brasileiro.

No terceiro bloco, os candidatos seguiram com as críticas ao governo Lula. Alckmin, ao falar sobre energia, acusou o presidente de enfraquecer as agências reguladoras e ter sido submisso na questão do gás boliviano. O tucano afirmou ainda que o governo boliviano estaria apenas aguardando a passagem das eleições para aumentar o preço do produto.

Alckmin também dirigiu uma pergunta à cadeira vazia onde deveria estar sentado Lula. Ele questionou se a ausência do presidente estaria relacionada aos problemas do governo na área da saúde ou da educação.

Dentro do tema corrupção, Cristovam defendeu o fim da reeleição para que a atividade política deixe de ser uma "profissão". Ele afirmou que, depois de 25 anos, a única causa que Lula ainda defende é justamente a reeleição. Segundo o senador, a corrupção existe também em "certos hábitos de governo", como "construir um prédio de luxo" num País com tantas necessidades.

O senador brincou com a candidata Heloísa Helena, dizendo que o que queria mesmo saber dela era qual o melhor remédio para a gripe que o acometeu.

Bolsa-Família
Cristovam alfinetou ainda a principal bandeira do governo Lula: o programa Bolsa-Família. Disse que ele perdeu a característica educacional, que as pessoas têm medo de perder o benefício e que o programa apenas mantém as famílias na pobreza.

Os outros dois candidatos também criticaram a forma como o Bolsa-Família é aplicado. Alckmin disse que ele foi criado no governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), mas que perdeu a lógica da contrapartida. Propôs ainda transformá-lo em Lei, para que sua continuidade não dependa do voto.

A senadora Heloísa Helena também mencionou o programa, dizendo que é mentira a informação de que acabaria com ele se fosse eleita. Mas, segundo a candidata, o Bolsa-Família não pode servir como um incentivo à gravidez na adolescência e deve funcionar junto com a educação.

Sobre este tema, Heloísa Helena afirmou que destinará R$ 10 bilhões para o setor. Disse também que, no governo Lula, chegou a 76% o percentual de jovens entre 14 e 24 anos que "ficam em casa sem fazer nada" e acabam entrando para o crime. Alckmin declarou que a educação básica será uma "obsessão" do seu governo.

Saúde
Ao criticar o sistema de saúde, a senadora alagoana lembrou o atropelamento de seu filho. Segundo ela, não havia o medicamento necessário no hospital em que ele foi internado e que ele foi salvo apenas pela competência dos médicos. Sobre o tema, Cristovam afirmou que também há "corrupção nas prioridades do governo", que não destina verbas para a saúde. Alckmin criticou a declaração de Lula de que a saúde no Brasil estaria perto da "perfeição" e disse que o primero passo para solucionar o problema é reconhecê-lo.

Em suas considerações finais, que encerraram o debate no quinto bloco, Alckmin agracede o apoio e disse que Lula, com a ausência no debate, deu um recado para o País: "não estou interessado em prestar contas". O tucano pediu que o País responda o recado no domingo, mudando de presidente.

Heloísa declarou que está com a consciência tranqüila e agradeceu as "flores, beijos e carinhos". Ela se emocionou ao falar que quer ser a primeira mulher presidente e disse que, mesmo não vencendo, "voltará com dignidade à sala de aula".

Cristovam pediu aos que votaram em Lula e se arrependeram e aos que estão em dúvida que levem o pleito para o segundo turno, votando em qualquer um dos candidatos. Pediu também votos para os pedetistas nos Estados, para que o partido vença a cláusula de barreira.

 

Terra

Leia Também

LIÇÕES DA BÍBLIA
Amem o estrangeiro
LIÇÕES DA BÍBLIA
Circuncidem seu coração
OLIMPÍADA 2024
Atletas de MS terão bolsas de até R$ 7 mil para competir nos jogos olímpicos
LIÇÕES DA BÍBLIA
Estudo adicional
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: Brasil registra 15.609 casos e 373 mortes em 24 horas
ESTAVA DESAPARECIDO
Corpo de pescador é encontrado dentro de jacaré
LIÇÕES DA BÍBLIA
O principal mandamento
BAIXARAM A GUARDA
Covid-19: Brasil registra 390 mortes e 12,9 mil casos em 24 horas
LIÇÕES DA BÍBLIA
Se me amam, guardarão os Meus mandamentos
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Funtrab está com 655 vagas para indígenas interessados em trabalhar em lavouras de maçã em SC e RS