Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 27 de setembro de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Campanhas enfatizam uso do cinto de segurança

24 Set 2010 - 15h06Por Jornal do Senado

Marcada este ano por campanhas a favor do uso do cinto de segurança e da cadeirinha para o transporte de crianças, a Semana Nacional de Trânsito, de 18 a 25 de setembro, dividiu atenções nos últimos dias com mais uma edição do Dia Mundial sem Carro, na quarta-feira.

Enquanto a campanha tradicionalmente valoriza aspectos que contribuem para a segurança no trânsito, o segundo evento tem como objetivo incentivar a população a reduzir a utilização do automóvel, uma maneira para amenizar a poluição e melhorar a qualidade de vida nas cidades.

Do ponto de vista da segurança, os dados disponíveis mostram que, além de aperfeiçoamento na legislação, objetivo de projetos de lei que tramitam no Senado, o Brasil precisa, de fato, insistir com as campanhas de conscientização.

Quase 40 mil brasileiros perdem a vida a cada ano em decorrência de acidentes de trânsito (números de 2008), segundo os últimos dados sistematizados pelo Ministério da Saúde, por meio do Datasus, a partir dos registros sobre óbitos nos hospitais do país.

De modo geral, os acidentes acontecem porque os motoristas dirigem em alta velocidade e sem respeitar a sinalização de trânsito.

Em muitos casos, os condutores assumem ainda o risco de dirigir após ingerir bebida alcoólica.

O resultado disso aparece nas estatísticas das vítimas fatais, sem contar as que ficam marcadas por sequelas de diferentes graus, inclusive problemas definitivos de mobilidade que obrigam ao uso de cadeira de rodas.

Cinto salva vidas

Considerado relevante para a segurança do trânsito, o uso do cinto pelo condutor e pelo passageiro do banco dianteiro reduz em 50% o risco de morte em uma colisão de trânsito.

O percentual é divulgado pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), junto com a informação de que 88% dos ocupantes dos bancos dianteiros de veículos automotores utilizam esse equipamento, mas apenas 11% dos passageiros do banco traseiro adotam o mesmo procedimento.

Este ano, a campanha da Semana Nacional do Trânsito buscou exatamente conscientizar os passageiros do banco traseiro para a necessidade do uso do cinto.

É um cuidado para a segurança e, ainda, para o próprio motorista e o ocupante do banco do carona, muitas vezes imprensados, nos acidentes, pelo impacto do deslocamento do corpo dos que vão atrás sem o cinto.

A atual campanha elegeu ainda o estímulo ao uso das cadeirinhas para o transporte de crianças menores de 7 anos.

Como esclarece o diretor do Denatran, Alfredo Peres da Silva, em texto alusivo à campanha, o uso do cinto não é a forma mais segura para o transporte de crianças em veículos

Deixe seu Comentário

Leia Também

Motorista registrou a travessia de uma jiboia na avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. FORA DO HABITAT
VÍDEO: motorista flagra jiboia cruzando pista de avenida no RJ: 'olha isso'
Só queria que me entendessem sem preconceito! PRECONCEITO
Jovem é expulso de casa ao assumir namoro com mulher trans
Yan e um comparsa renderam mãe e filha na rua CRIMINOSO
Bandido morto pela PM arrancou família de carro e agrediu mulher uma semana antes
O diesel não sofreu reajuste. + ALTA
Gasolina sobe 4% nas refinarias, anuncia Petrobras
O total de mortes causadas por covid-19 chega a 138.108, um acréscimo de 0,6% sobre a soma de segunda Saúde
Covid-19: Brasil tem 33,5 mil novos casos e 836 mortes em 24 horas
HERANÇA PORTUGUESA
A herança portuguesa na vida cotidiana do Brasil
Os beneficiários nascidos em janeiro  3,9 milhões de pessoas  poderão sacar AJUDA FINANCEIRA
Caixa paga nova parcela do auxílio emergencial para 5,6 milhões de pessoas
o maior programa de assistência aos mais pobres no Brasil e talvez um dos maiores do mundo PRESIDENTE NA ONU
Bolsonaro diz que brasileiros receberam mil dólares de auxílio
Imagem: Reprodução/Balanço Geral Londrina FUGA EM MASSA
Presos fogem de cadeia após surto de Covid-19
Material estava dentro de uma bexiga e enrolado com fita isolante PROFUNDEZAS DO CRIME
8 celulares e outros materiais são retirados do ânus de preso