Menu
SADER_FULL
domingo, 24 de outubro de 2021
Busca
Brasil

Campanha para o governo custará R$ 38,6 milhões em MS

6 Jul 2006 - 07h09

Os partidos políticos que disputam o governo de Mato Grosso do Sul deixaram para registrar suas candidaturas no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) no período da tarde desta quarta-feira, o último dia previsto pela legislação eleitoral.

O primeiro partido a registrar candidatura foi o Prona, que não disputará o governo do Estado. O partido de Enéas Carneiro registrou, por volta das 12h30, oito candidatos a deputado federal, três para deputado estadual e um para o Senado.

O Prona achou por bem não fechar aliança com nenhuma outra legenda, preferindo chapa-pura na disputa pelos cargos proporcionais. Seu candidato ao Senado será Ionaldo José Arce, que terá como 1ª suplente Vela Lúcia Benigno dos Santos. 

O candidato do PMDB, André Puccinelli apontou um gasto de até R$ 15 milhões para tentar se eleger o próximo governador do Estado, conforme registrado na ata que o partido entregou ao TRE.  A previsão de gasto é para a hipótese de dois turnos nas eleições.

O PFL, que indicou o deputado federal Murilo Zauith como vice na chapa de André Puccinelli, informou que também gastará R$ 15 milhões na campanha.

As atas das convenções dos 12 partidos da coligação que apoiará ex-prefeito de Campo Grande também foram registradas. Além de Marisa Serrano ao Senado, são 114 candidatos a deputado federal e estadual.

Liderada pelo PSOL e o PSTU, a coligação “Frente de Esquerda”  prevê gastos de R$ 400 mil para seus candidatos a governador, Senado, deputados estaduais e federais.

Foram registradas as candidaturas de Carlito Dutra para o governo e de Monge para vice-governador. Para deputado federal o PSOL lançou Wilson Valiente, Hirlei Sena e Marcos Borato. O PSTU registrou o nome de João Marchi.

Para concorrer à Assembléia Legislativa, foi registrada pelo PSTU a candidatura de José de Oliveira. Pelo PSOL foram registrados os nomes de José Henrique, Tião Vigilante, Sérgio Arnaldo e Ubiraci dos Santos. A coligação registrou dois candidatos a senador: Suél Ferranti pelo PSTU e Anita Borba pelo P-Sol.

O candidato do PSDC ao governo do Estado, Elizeu Amarilha, que tem como vice o militar da marinha, Lincoln Samaniego, prevê gasto de R$ 200 mil durante a campanha eleitoral deste ano. 

Os democratas cristãos também pretendem gastar R$ 50 mil com cada um de seus três candidatos à Assembléia Legislativa que são  Augusto Bochecha do Amaral, Maria Campos e Márcio Amador.

O PDT registrou por volta das 18h sua lista de candidatos para as eleições de outubro. Além dos nove candidatos à Câmara e 15 à Assembléia, a legenda  oficializou a candidatura de João Leite Schimidt para disputar o Senado.

O PDT, que apóia André Puccinelli por meio da chamada coligação branca (informal), prevê gasto de R$ 2 milhões na campanha para o Senado e outros R$ 1,5 milhão com os candidatos à Câmara, além de R$ 1 milhão para os que vão tentar uma cadeira na Assembléia.

A candidatura de Delcídio do Amaral ao governo de Mato Grosso do Sul e de mais 20 candidatos a deputado federal e 70 a estadual foram registradas há pouco no TRE (Tribunal Regional Eleitoral).

O PT foi o último partido a registrar candidaturas, prevendo um gasto de R$ 8 milhões na campanha do senador licenciado Delcídio do Amaral, além de R$ 1 milhão para o vice-governador, Egon Krakhecke, tentar se eleger senador. Outros R$ 30 milhões devem ser gastos nas campanhas de deputados estaduais e federais.

O presidente do PT, Mariano Cabreira, foi ao TRE registrar as candidaturas da coligação “Um novo avanço para MS”, acompanhado de Egon e do candidato a vice-governador Sérgio Assis (PSB). 

PV – De última hora, o PV decidiu lançar Tito Lívio ao governo do Estado. Seu vice será Sérgio Lacerda.

A legenda também lançou Carlos Leite para o Senado, nove candidatos a deputados estaduais e Marcelo Bluma para disputar uma vaga na Câmara Federal.

Os verdes declararam que vão gastar R$ 15 milhões para a campanha ao governo, a exemplo de André Puccinelli (PMDB), R$ 10 milhões para o Senado e R$ 2 milhões para deputado federal, valores bem altos par um partido nanico como o PV.

Os candidatos a deputado estadual terão R$ 1 milhão para gastar na campanha.

 

 

Conjuntura Online

Leia Também

OLIMPÍADA 2024
Atletas de MS terão bolsas de até R$ 7 mil para competir nos jogos olímpicos
LIÇÕES DA BÍBLIA
Estudo adicional
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: Brasil registra 15.609 casos e 373 mortes em 24 horas
ESTAVA DESAPARECIDO
Corpo de pescador é encontrado dentro de jacaré
LIÇÕES DA BÍBLIA
O principal mandamento
BAIXARAM A GUARDA
Covid-19: Brasil registra 390 mortes e 12,9 mil casos em 24 horas
LIÇÕES DA BÍBLIA
Se me amam, guardarão os Meus mandamentos
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Funtrab está com 655 vagas para indígenas interessados em trabalhar em lavouras de maçã em SC e RS
ALERTA TEMPORAIS
Chance de Tempestades (La Ninã) no final do ano é de 87%, aponta atualização do NOAA
LIÇÕES DA BÍBLIA
Ele nos amou primeiro