Menu
SADER_FULL
quarta, 16 de junho de 2021
Busca
Brasil

Campanha de Vacinação Antirrábica termina dia 17 em MS

11 Nov 2009 - 05h48Por Diário MS
Até 17 de novembro a SES (Secretaria de Estado de Saúde) promove a Campanha de Vacinação Antirrábica Canina e Felina de Mato Grosso do Sul. A campanha teve início em agosto e o dia “D” foi 26 de setembro.

Enquanto para a SES coube a orientação, monitoramento e suporte para a campanha; cada uma das 78 secretarias Municipais de Saúde ficou responsável por decidir a melhor estratégia para vacinar os animais. A maioria delas optou por um local fixo onde a população deve levar os cães e gatos para serem imunizados. Já as secretarias de Campo Grande e Corumbá decidiram pela visita domiciliar dos técnicos para vacinarem os animais, caso o proprietário do imóvel tenha algum.

O principal objetivo da campanha é manter em “zero” o número de casos de raiva humana em Mato Grosso do Sul. Além disso, os trabalhos visam controlar e eliminar os casos de Controlar e eliminar os casos de raiva canina e felina no Estado, desenvolver ações de controle e prevenção da raiva animal juntamente com o Paraguai e a Bolívia, com o objetivo de aumentar a cobertura vacinal na fronteira, supervisionar as ações de vacinação in lócus, capacitar as equipes de saúde.

A estimativa da população canina no Estado é de 456.765 e a felina chega a 95.007 animais. A meta de vacinação estabelecida pelo Ministério da Saúde é vacinar, no mínimo, 80% dos cães e gatos. O último registro de caso de raiva humana em Mato Grosso do Sul foi em 1994, contudo, a vacinação dos animais é essencial, pois ainda existe circulação do vírus que provoca a doença. Este ano, de um total de R$ 166.541,51, a SES investiu R$ 136.938,04.

A Raiva

A Encefalite Viral Aguda, mais conhecida como “Raiva” é transmitida por mamíferos, que apresenta dois ciclos principais de transmissão: urbano e silvestre. O vírus rábico pertence ao gênero Lyssavirus, da família Rhabdoviridae.

O vírus penetra no organismo, atinge o sistema nervoso periférico e, posteriormente, o sistema nervoso central. A partir daí, dissemina-se para vários órgãos e glândulas salivares, onde também se replica e é eliminado pela saliva das pessoas ou dos animais enfermos. Qualquer mamífero pode adquirir a doença.

Para o controle efetivo da doença é necessário realizar bloqueios de foco (em até, no máximo, 72 horas), manter altas coberturas vacinais caninas, retirar animais de rua, realizar o censo canino, educação em saúde, profilaxia adequada em tempo oportuno e garantir realização do esquema de vacinação completo.

A população precisa ficar atenta da necessidade de procurar assistência médica, mesmo em situações aparentemente não graves, tais como arranhaduras e lambeduras feitas por algum animal. Também é recomendado tratamento profilático antirrábico, com aplicação de soro e vacina – os quais estão disponibilizados na rede do Sistema Único de Saúde (SUS) –, gratuitamente, quando qualquer pessoa é agredida por espécie silvestre (morcegos, raposa e saguis).

Deixe seu Comentário

Leia Também

COPA X VIRUS
'Desse jeito, o vírus vai levantar a taça', diz deputado após 52 infectados na Copa América
FAMOSIDADES
Apresentador mostra fotos de viagens românticas com filha de Faustão e se declara
SEIS DIAS DE TERROR
Homem mata uma família e aterroriza moradores em seis dias de fuga deixando rastros de crimes
TRISTEZA E COMOÇÃO
Jovem engenheiro morre em acidente com moto e comove cidade
MUI AMIGO
Homem obriga mulher de amigo a fazer sexo oral e leva surra em delegacia
DOENÇA DO SÉCULO
Homem de 33 anos deixa carta de despedida e tenta pular de ponte
ABSURDO
Família registra boletim de ocorrência após vitima de covid ser sepultado em cemitério errado
ANTECIPAÇÃO
Governo antecipa pagamento de parcelas do auxílio emergencial
918d8b7fa56ee0a828ae4ad908fedeb3 ATENTADO AO PUDOR
Casal é flagrado fazendo sexo em plena praça pública no dia dos Namorados
TRAGEDIA NA RODOVIA
Jovem morre após desviar de buraco e cair com carro em córrego