Menu
SADER_FULL
segunda, 30 de março de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
MEDICAL CENTER - POLONIO
Brasil

Câmara vai analisar resposta de Bernal para decidir se inicia cassação a pedido do Sisem

16 Set 2013 - 15h49Por Mídia Max

A Câmara de Campo Grande recebeu na manhã desta segunda-feira (16) uma resposta do prefeito Alcides Bernal (PP) sobre o pedido de cassação do mandato dele, feito pelo presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Campo Grande (Sisem), Marcos Tabosa. A resposta ainda refere-se ao primeiro pedido feito por Tabosa, via Sisem, que foi rejeitado pelos vereadores.

O pedido foi rejeitado porque Tabosa apresentou via Sisem, o que não é permitido, já que a comissão processante só pode ser aberta via pessoa física ou a pedido de um vereador. Nesta segunda-feira Marcos Tabosa apresentou novo pedido, desta vez como pessoa física. Com isso, a Câmara vai analisar a resposta do prefeito para ver qual o encaminhamento a ser dado.

Seguindo o regimento da Câmara, a Procuradoria Jurídica tem cinco dias para emitir parecer se aconselha ou não os vereadores a abrirem a comissão processante. Com o parecer, a votação vai para o plenário, onde com maioria, em um quórum mínimo de 15 vereadores, decide-se por abertura ou não da cassação.

A semana será decisiva para o prefeito, que além do Sisem, pode sofrer um novo pedido de abertura de comissão processante por meio da CPI do Calote. O relator da CPI, Elizeu Dionízio (PSL), está fechando o relatório, mas já antecipou há vários dias que vai pedir a abertura de uma comissão processante.

Diferente de uma CPI, onde os vereadores têm que ter objeto específico, a comissão processante pode ser aberta para um fim e modificada conforme as denúncias. Neste caso, os vereadores podem incluir em uma única comissão os pedidos da CPI do Calote e do Sisem. Aprovada a comissão, o presidente realiza um sorteio para definir os três integrantes.

O presidente do Sindicato dos Servidores acusa Bernal de se apropriar indevidamente de cerca de R$ 700 mil da instituição para impedir que ele possa defender os filiados. “Uma forma de deixar o sindicato sem caixa e impedir que a gente faça nosso trabalho, que faça ações judiciais contra a prefeitura e as irregularidades cometidas com os servidores”. Já o prefeito alega que deposita a contribuição em juízo, visto que há outros sindicatos requisitando a verba por entender que o Sisem não lhes representa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS - POLONIO IMÓVEIS
Vem aí!, Dourados Medical Center empreendimento exclusivo para a área da saúde em Dourados
CORONAVÍRUS NO BRASIL
Prefeito é internado na UTI, após piora em quadro de coronavírus
REUNIÃO TENSA
‘Estamos preparados para ver caminhões do Exército com corpos?’, questiona Mandetta a Bolsonaro
BRASIL 117 MORTES
Casos de coronavírus no Brasil em 29 de março
FÁTIMA DO SUL - ATENÇÃO COMÉRCIO
Em novo Decreto, confira o que vai poder abrir e permanecer fechando nesta segunda em Fátima do Sul
CORONAVÍRUS NO BRASIL
Justiça suspende trecho decreto de Bolsonaro que livra igrejas de quarentena
CORONAVÍRUS NO BRASIL
Senado votará na segunda auxílio de R$ 600 para trabalhadores
TRABALHO VOLUNTÁRIO
Detentas começam confeccionar máscara de proteção para atender Jateí, Vicentina e Fátima do Sul
COVID-19 NO BRASIL
Brasil tem 92 mortes e 3.417 casos confirmados de novo coronavírus, diz Ministério da Saúde
PANDEMIA CORONAVIROS
São Paulo tem 68 mortos por coronavírus, média de uma a cada 2 horas e 20 minutos, e 1.223 casos