Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 21 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

Caem 27% o total de novos casos de Hanseníase

27 Jan 2011 - 14h38Por Maxpress

Comemorado em 30 de janeiro, o Dia mundial da Luta Contra a Hanseníase desse ano traz a notícia de que houve redução de 27% no total de casos novos, segundo levantamento feito pelo Ministério da Saúde entre o período de 2003 e 2009.

O País já havia superado, em 2009, a meta prevista para 2011 do indicador do coeficiente de detecção da doença em menores de 15 anos, incluída no Programa de Aceleração do Crescimento – PAC Mais Saúde. Esse indicador permite monitorar o índice de transmissão da doença, utilizando como base crianças e adolescentes. Ele foi adotado como principal indicador de monitoramento da doença.

Levantamento inédito do Ministério da Saúde revela a redução de 27,5% no total de casos novos entre 2003 e 2009. Passaram de 51.941 casos em 2003 para 37.610 em 2010. No mesmo período, o número de serviços com pacientes em tratamento de hanseníase aumentou em 45,9%. Nos últimos dez anos houve avanço das ações de controle da hanseníase no País. Foi alcançada em 2010, a inclusão de cerca de 90% dos serviços de saúde.

SUS oferece tratamento gratuito e diagnóstico precoce evita avanço da doença

A hanseníase é infecciosa e atinge a pele e os nervos dos braços, mãos, pernas, pés, rosto, orelhas, olhos e nariz. O comportamento da doença é desigual nas diferentes regiões do País. O tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas é longo e varia de dois a cinco anos. Os principais sintomas e sinais da hanseníase são: manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas em qualquer parte do corpo e áreas da pele que não coçam, mas formigam e ficam dormentes, com diminuição ou ausência de dor, da sensibilidade ao calor, ao frio e ao toque.

É importante que ao perceber algum sinal, a pessoa com suspeita da doença não se automedique e procure imediatamente o serviço de saúde mais próximo. A hanseníase tem tratamento e cura. A doença pode causar deformidades físicas, evitadas com o diagnóstico precoce e o tratamento imediato, disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS). O tratamento pode durar de seis a doze meses, se seguido corretamente.

Política nacional estabelece ações

A Política Nacional de Controle da Hanseníase (PNCH) tem como objetivo oferecer que as pessoas portadoras da doença sejam atendidas nas suas necessidades e direitos. É responsabilidade dos órgãos competentes promover o controle, com o diagnóstico precoce, o tratamento e a cura. O PNCH também estabelece as ações a serem desenvolvidas: incentivar a garantia de acesso, o acolhimento e o atendimento de qualidade aos usuários.

Outras medidas a serem tomadas são melhoria do ambiente e das condições de trabalho, a ampliação e o aprimoramento da rede de serviços da atenção primária, especializada ambulatorial e hospitalar, construção e implementação das linhas de cuidado. As ações do Plano organizam-se em cinco áreas: vigilância epidemiológica; gestão; atenção integral; comunicação e educação e pesquisa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GANGUE DO TIJOLO
Menores entre 13 e 17 anos formam bando e fazem 'arrastão'; veja vídeo
LUZ DO DIA
Empresário é executado com três tiros dentro de carro
SELFIE DA MORTE
Professora tenta tirar selfie e morre afogada ao cair no mar
tratamento precoce prefeito curitiba 100 TRATAMENTO
"Estão no Cemitério", diz prefeito de Curitiba sobre pessoas que usaram tratamento precoce Covid-19
A CASA CAIU
Mulher invade casa e flagra namorado fazendo sexo com outra; veja vídeo
LINHA DE FRENTE
'Ele lutou até o final', diz irmã de médico de 28 anos, após quase um mês morreu de Covid-19
SEU BOLSO
Litro da gasolina sobe R$ 0,15 nas refinarias da Petrobras
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Na calada da noite, namorado da avó estupra criança de 12 anos e é espancado por vizinhos
CONCURSO PÚBLICO
Concurso da Aeronáutica somam com as 21 mil vagas em outros concursos que a semana oferece
DEU RUIM
Jovem é atingido por raio enquanto usava celular no banheiro