Menu
SADER_FULL
sábado, 19 de junho de 2021
Busca
Brasil

Cadastro que formaliza pequenos empresas sai em 15 dias

3 Out 2009 - 10h31Por Conjuntura

O cadastro da Receita Federal para a formalização de microempreendedores individuais deve ser liberado, para Mato Grosso do Sul, em cerca de duas semanas.

Prevendo o início das operações de formalização de empresários cuja receita acumulada no ano não ultrapasse R$ 36 mil, o prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB), sancionou a Lei Complementar nº 142, instituindo o regime tributário diferenciado, que engloba também o Simples Nacional.

O secretário municipal de Receita, José César de Oliveira Estoduto, explica que, na realidade, as normas do Simples Nacional já estavam em aplicação desde a publicação da Lei Complementar Federal nº 123, que estabeleceu o Estatuto da Microempresa e unificou a cobrança de impostos.

“Uma lei federal é autoaplicável, mas quando ela vem, vem seca. Nós publicamos para dar uma debulhada nas regras”, explica.

A regulamentação da lei foi assinada pelo prefeito em julho deste ano, durante a realização do I Seminário de Prefeitos Empreendedores, realizado pelo Sebrae.

O presidente do Conselho Deliberativo do órgão, Luis Cláudio Sabedoti Fornari, destaca que a aplicação da legislação possibilita a atração de mais negócios.

Das regras previstas pela Lei Federal nº 123, a possibilidade de formalização dos microempreendores individuais é a grande novidade recepcionada pela legislação municipal e que busca tirar pequenos empresários da informalidade.

Costureiras, cabeleireiras, artesãos, manicures e diversos outros profissionais com faturamento até R$ 36 mil poderão ser formalizados como pessoas jurídicas, passando a ter direitos como aposentadoria por idade, por invalidez, licença-maternidade e, ainda, o pleito de empréstimos.

O microempreendedor fica isento do pagamento do IRPJ (Imposto de Renda de Pessoa Jurídica), IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), CSLL (Contribuição Social sobre Lucr o Líquido), Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social), PIS (Programa de Integração Social) e do INSS patronal.

A cobrança de impostos será feita através do Documento de Arrecadação do Simples, que corresponde a 11% do salário mínimo (destinado ao INSS do empresário), ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços) e ISS (Imposto Sobre Serviços).

Apesar do cadastro da Receita Federal ainda não estar liberado para Mato Grosso do Sul, o secretário de Receita recomenda que os interessados em sair da informalidade procurem um contabilista ou o Sebrae, que os orientarão sobre os procedimentos necessários.

O presidente do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas , Ruberlei Bugarelli, ressalta que somente as empresas de contabilidade cadastradas no Simples Nacional estão habilitadas a prestar este serviço gratuitamente.

Mais informações sobre a lei do Microempreededor Individual podem ser acessadas no site do sindicato (www.sesconms.org.br) no Portal do Empreendedor (www.portaldoempreendedor.gov.br).

Deixe seu Comentário

Leia Também

LUTO NA MÚSICA
Cantora gospel que defendia tratamento precoce morre de Covid-19 após ter os pulmões comprometidos
VIDEO
Cliente carrega mangueira sem perceber e bomba pega fogo em posto de combustível de Foz do Iguaçu
AÇÕES DO GOVERNO MS
Reinaldo Azambuja propõe projeto com Itaipu para combater assoreamento nos rios Iguatemi e Amambai
COPA X VIRUS
'Desse jeito, o vírus vai levantar a taça', diz deputado após 52 infectados na Copa América
FAMOSIDADES
Apresentador mostra fotos de viagens românticas com filha de Faustão e se declara
SEIS DIAS DE TERROR
Homem mata uma família e aterroriza moradores em seis dias de fuga deixando rastros de crimes
TRISTEZA E COMOÇÃO
Jovem engenheiro morre em acidente com moto e comove cidade
MUI AMIGO
Homem obriga mulher de amigo a fazer sexo oral e leva surra em delegacia
DOENÇA DO SÉCULO
Homem de 33 anos deixa carta de despedida e tenta pular de ponte
ABSURDO
Família registra boletim de ocorrência após vitima de covid ser sepultado em cemitério errado