Menu
SADER_FULL
sábado, 31 de julho de 2021
Busca
Brasil

Bullying: Alunos se agridem dentro da sala de aula em Vicentina

24 Jun 2010 - 07h28Por Washington Lima / Fátima News

Na tarde ontem, em Vila Rica , distrito de Vicentina, alunos da Escola Estadual Emanuel Pinheiro, se agrediram dentro da sala de aula e um deles acabou levando a pior saindo da briga com o supercílio cortado. 

 


Imediatamente a Diretora da Escola, Maria Divaldete,  solicitou os Policiais Militares que se deslocaram até a escola juntamente com a conselheira de plantão Marcia,  onde encontramos os adolescentes na sala da diretoria.

 

 

Segundo professor João Paulo,  que estava na sala de aula,  o menor M.  G.  N.  esta sempre andando na sala e mexendo com um e outro aluno e que ao dar dois tapinhas de brincadeira na cabeça do L.  S.  P.  o mesmo levantou e deu um soco acertando e cortando o supercílio direito de M.  G.  N. . 

 

 

Os pais dos mesmos foram avisados,  e os dois foram conduzidos juntamente com a conselheira ate o hospital local,  onde a vitima foi atendida pelo doutor Edison,  levando um ponto no supercílio e liberado,  sendo ambos entregues no 1° DP.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CÃOPAINHA
Cachorro toca campainha após ficar trancado fora de casa
SONHO INTERROMPIDO
Ultimo ensaio fotográfico minutos antes de médico sofrer choque e morrer nas vésperas de casamento
OLIMPÍADA
Rebeca é prata e faz história na ginástica olímpica em Tóquio
FENÔMENO DA NATUREZA
Chuva de meteoros será visível na madrugada de quinta para sexta em todo Brasil
A CASA CAIU
Mulheres se unem e surram "valentão" flagrado agredindo ex no meio da rua
CRISE HÍDRICA
Novas fontes preparam MS para a crise hídrica, ressalta governador
ABAIXO DE ZERO
Com -8,6°C, SC registra a menor temperatura do Brasil em 2021, diz Inmet
COVID-19
Em dia de aumento de casos Brasil tem 1.333 óbitos por Covid - 19 nas últimas 24 horas
CONCURSO PÚBLICO
Caixa Econômica convocará 9 mil de concursos e abre mais mil vagas
BRASIL - 550.502 MORTES
Covid-19: país ultrapassa 550 mil mortes e tem 19,7 milhões de casos