Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 1 de outubro de 2020
SADER_FULL
Busca
ZANZI
Brasil

Brasil se recupera e vence Polônia na fase final do Grand Prix

26 Ago 2010 - 08h52Por Gazeta Esportiva

Surpreendida pelo Japão na estreia da fase final do Grand Prix, a Seleção Brasileira feminina de vôlei se recuperou e venceu a Polônia nesta quinta-feira por 3 sets a 1, parciais de 25/21, 23/25, 25/20 e 25/17.

Com o resultado, a equipe brasileira assume provisoriamente a vice-liderança da disputa com quatro pontos, mas ainda pode ser ultrapassada pelo Japão, que joga contra a China às 8h30 (horário de Brasília). Dependendo do resultado, as nipônicas ocupariam a primeira colocação ao término da segunda rodada.

Enquanto o técnico José Roberto Guimarães optou por dar um voto de confiança ao seu time titular, entrando em quadra com Fabíola, Sheilla, Jaqueline, Mari, Fabiana, Thaísa e Fabi, a Polônia fez três importantes modificações: Skorupa virou levantadora no lugar de Sadurek, enquanto a capitã Skowronska ficou no banco a fim de ceder seu lugar na saída de rede para Kaczor. A líbero escolhida foi Maj, e não Zenik.

Nesta sexta-feira, o Brasil terá um importante duelo pela frente, contra os Estados Unidos, às 4h30 (Brasília). Com duas vitórias na fase final, incluindo uma arrasadora sobre a Itália, as americanas são as únicas adversárias ainda vivas na disputa que não encararam a equipe de Zé Roberto este ano. Em situação bastante complicada, com duas derrotas, a Polônia joga contra a China, às 8h30 (de Brasília).

Tanto quanto os Estados Unidos, porém, a preocupação da Seleção Brasileira fica por conta de Mari, que caiu de mau jeito durante o terceiro set, sofreu uma entorse do joelho direito e precisou sair carregada de quadra. A jogadora é dúvida para as partidas restantes do Grand Prix. De acordo com informações do SporTV, Mari relatou ter ouvido um estalo no joelho e foi constatada a entorse. O médico Julio Nardelli, porém, conseguiu evitar o inchaço e a jogadora até conseguiu andar um pouco no intervalo entre os sets.

Por outro lado, as brasileiras mostraram maturidade ao não se abalarem com a lesão da atacante. A recepção mais uma vez falhou muito e, junto com os erros de saque, quase complicaram a Seleção. Sheilla, por sua vez, fez uma partida bem melhor que contra o Japão e terminou como a melhor pontuadora em quadra, com 20 pontos.

O jogo

Melhor fundamento do Brasil na derrota para o Japão, o bloqueio começou com tudo: além de tocar em praticamente todas as bolas, o paredão verde-amarelo marcou quatro pontos somente na primeira metade da etapa. Perdendo por 14/10, o técnico Jerzy Matlak parou o jogo a fim de passar orientações para sua equipe.

Depois de um início cheio de erros de saque (três para cada lado), Sheilla conseguiu o primeiro ace do jogo, marcando 16/11. Aos poucos, a Polônia, em especial a ponteira Anna Baranska, achou o jeito de superar o bloqueio o Brasil e encostou no placar. O empate veio com um bom saque de Gajgal.

As polonesas chegaram o ter o contra-ataque para virar o placar, mas Sheilla fez importante defesa e Mari virou a bola, conseguindo seu primeiro ponto no jogo. O lance "acordou" a jogadora, que marcou outras duas vezes e deu o set point ao Brasil, convertido em uma explorada de Sheilla.

A segunda parcial começou com um bloqueio da oposta brasileira, que não escondeu o sorriso de satisfação na sequência. Porém, a equipe não aproveitou o bom momento e, errando muito na recepção e no saque, permitiu à Polônia fazer 15/11.

Logo após Fabíola ser bloqueada em uma bola de segunda, Zé Roberto antecipou a inversão 5-1, colocando Dani Lins e Natália em quadra. O Brasil reagiu a empatou em 17 pontos com um erro de ataque de Baranska, mas logo se perdeu e o treinador brasileiro parou de novo o confronto, com 17/20.

Já com a inversão desfeita, a Seleção desperdiçou dois contra-ataques, mas igualou novamente nos 22 pontos. O problema é que o time vacilou outra vez e, já com Sadurek e Skowronska em quadra, a Polônia venceu por 25/23. No ponto final da etapa, Mari foi bloqueada.

A terceira etapa começou equilibrada, com as equipes trocando pontos e sem ninguém escapando no placar até o primeiro tempo técnico. Aproveitando-se dos erros poloneses, o Brasil fez 10/7. Mais uma vez, porém, a oportunidade não foi aproveitada e as rivais empataram em 13/13 em um erro de ataque de Mari. A virada veio logo depois, no 15/14.

A ponteira se recuperou com dois bloqueios que fizeram o Brasil passar à frente e abrir uma vantagem de 19/16. Em seguida, entretanto, Mari caiu de mau jeito e se machucou, precisando sair carregada de quadra. Paula Pequeno entrou no seu lugar e o time não se abalou, alcançando o 25/20 em um ataque de Jaqueline.

O quarto set foi o melhor de todos para o Brasil, que comandou as ações do início ao fim e desestruturou a Polônia, que passou a errar mais que o normal. O ponto do jogo foi de Sheilla, que acertou uma bela paralela se chances para as adversárias.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FORNALHA
Cidades do MS e PI devem quebrar record histórico de temperatura no Brasil nesta quinta feira
FURIA DA NATUREZA
Tempestade causa estragos e deixa cidades sem energia
AUXILIO EMERGENCIAL
Auxílio Emergencial extensão: publicado calendário de pagamento
funcionário da Celpe, José Reginaldo de Santana júnior, 31 anos CRIME HEDIONDO
Funcionário de empresa é executado após realizar corte de energia
imagem Google ABERTURA FRONTEIRA
Pedro Juan Caballero vive expectativa da abertura da fronteira
BRASIL - 142.921 MORTES
Covid-19: Brasil registra 863 óbitos e 32.058 novos casos em 24h
AGORA É LEI
AGORA É LEI: Prisão de até 05 anos para maus-tratos contra cães ou gatos
PANDEMIA
Covid-19: Brasil tem 142 mil óbitos e 4,74 milhões de casos acumulados
+ CONSUMO
Intenção de consumo das famílias volta a crescer após cinco quedas
Motorista registrou a travessia de uma jiboia na avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. FORA DO HABITAT
VÍDEO: motorista flagra jiboia cruzando pista de avenida no RJ: 'olha isso'