Menu
SADER_FULL
sábado, 8 de maio de 2021
Busca
SAÚDE

Brasil perde R$ 9 milhões anuais com Mal de Chagas

16 Out 2010 - 06h15Por Rádio ONU em Nova York)

Negligenciadas

Dado está no relatório da OMS sobre doenças tropicais negligenciadas; país também está entre nações com mais casos de dengue na América Latina, e de leishmaniose no mundo.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, informou que 1 bilhão de pessoas, a maioria em países pobres, estão sofrendo com doenças tropicais, também chamadas de infecções negligenciadas.

Num relatório, divulgado nesta quinta-feira, a agência sugere que os casos podem ser reduzidos, em grande proporção, com políticas eficazes.

Cooperação

A organização cita 17 males esquecidos entre eles: hanseníase, raiva, dengue, doença do sono, leishmaniose, doença dos rios e Mal de Chagas.

A OMS também chama a atenção para os prejuízos econômicos de doenças tropicais.

Segundo a agência, o Brasil perde o equivalente a pelo menos de R$ 9 milhões, por ano, com ausências trabalhistas por causa do Mal de Chagas. Em sete países sul-americanos, as perdas chegam a US$ 1,2 bilhão.

O médico especialista em doenças tropicais da OMS, Fábio Zicker, disse à Rádio ONU que a agência está investindo em cooperação para combater o problema.

Ferramentas

"Malária, turberculose, leishmaniose, filariose linfática são doenças associadas à situação precária de vida, situações sócioeconômicas e de saneamento. Não existe nenhum arsenal terapêutico eficiente capaz de controlar essas doenças.

Então há uma necessidade de promover o desenvolvimento científico, tecnológico e a rede, a colaboração de pesquisadores de diversos países para que se chegue às ferramentas do controle dessas doenças", explicou.

Metas do Milênio

As doenças tropicais negligenciadas têm apresentado um grande desafio ao cumprimento das Metas do Milênio.

Somente na América Latina, a dengue já contaminou mais de 1 milhão de pessoas nos últimos sete anos.

Seis países da região concentram 75% dos casos de dengue: Brasil, Costa Rica, Colômbia, Honduras, México e Venezuela.

Um outro desafio é a leishmaniose, uma doença predominantemente rural que atinge 1,6 milhão de pessoas anualmente.

Leishmaniose Visceral

Quase 90% dos casos de leishmaniose visceral ocorrem em alguns dos países mais pobres do mundo.

Três estão no continente asiático: Bangladesh, Índia e Nepal. Na África: Etiópia e Sudão. No continente americano, o Brasil é o único a fazer parte do grupo.

Ainda de acordo com a OMS, o Brasil tem obtido um forte aumento do número de casos de leishmaniose visceral desde 1999.

A doença, que era epidêmica em áreas rurais, passou a ser notificada também em cidades brasileiras.(

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESCALADA DA VIOLÊNCIA
Operação mais letal da história deixa 25 mortos no Jacarezinho
VITIMA DO MASSACRE
'Fiquei vendo costurarem os ferimentos. Chorava, orava e agradecia por ele estar vivo, diz mãe
FRIO - FÁTIMA DO SUL NOVA ONDA DE FRIO
Frio de origem polar começa a ser sentido novamente e terá geada
TERROR NA CRECHE
Sob forte emoção moradores de Saudades realizam velório coletivo das vítimas do ataque à creche
CHEGANDO FORTE
Frio chega com força e provoca geada no Sul
TERROR EM CRECHE
Jovem invade escola e mata três crianças e duas funcionárias
PÉSSIMA PROJEÇÃO
Covid-19: Brasil deve alcançar 575 mil mortes em 1º de agosto, diz instituto
SONHO INTERROMPIDO
Jovem perde noivo para a Covid-19 no dia do casamento: 'Nossos sonhos ficaram para trás'
PANDEMIA CORONAVIRUS
Triste número: Brasil ultrapassa 400 mil mortes por Covid-19
REVOLTA
Pastor zomba da fé dos indígenas Trukás que revoltados quebram templo em construção; veja o vídeo