Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 31 de outubro de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Brasil mexe no calendário das próximas Copas

19 Jul 2004 - 13h16
O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, aproveitou sua vinda ao Peru para dar uma demonstração de poder. Respaldado pelas associações argentinas e uruguaias, o brasileiro pressionou as demais associações sul-americanas e conseguiu uma vitória importante. A próxima Copa América acontecerá em 2007, antes das Eliminatórias para o Mundial de 2010. E a partir daí, de quatro em quatro anos.

“Não tem cabimento Copa América de dois em dois anos. E em plena Eliminatória. Isso não acontecerá mais”, prometeu, e cumpriu, Ricardo Teixeira em Arequipa.

Segundo jornalistas peruanos que estiveram na abertura da Copa América, Ricardo Teixeira bateu pesado com as pequenas associações que desejavam a manutenção da Copa América bienal.

Teixeira estaria à frente de uma tríplice aliança que travaria o torneio. Brasil, Argentina e Uruguai não disputariam mais a competição sul-americana se ela não passasse a ocorrer de quatro em quatro anos.

Os presidentes das pequenas associações perceberam que não tinham como fazer um torneio sem os poderosos do continente. E cederam.

“A Eurocopa em Portugal foi tão badalada porque havia quatro anos de ansiedade. Os portugueses trabalharam para remodelar seus principais estádios de forma tranqüila. O torneio foi bem promovido e o resultado foi excelente. Fora o fato de que as Eliminatórias européias irão começar na verdade só depois da Eurocopa. A América do Sul tem de seguir o mesmo exemplo”, disse Ricardo Teixeira.

“A competição será sensacional porque os verdadeiros craques do mundo estão aqui, no nosso continente. A Copa América tem tudo para ser o torneio mais importante depois do Mundial.”

O presidente da Conmebol, o paraguaio Nicholas Léoz, não toma uma decisão sem consultar Teixeira. Ele sabe do poder econômico que o presidente da CBF tem por trás. A Copa América é uma propriedade da Traffic, de J. Hawilla, empresário e amigo íntimo de Teixeira. O dirigente também mantém contrato da Seleção Brasileira com a influente TV Globo.

A figura de Teixeira tem sido tão importante, que ele está servindo como consultor de uma delicada questão. Políticos mexicanos decidiram investir milhões de dólares para tirar a Copa América de 2007 da Venezuela. Mas a situação não se mostra tão fácil. Os venezuelanos, embora mais pobres, não querem abrir mão do torneio. Os dois lados têm consultado o presidente da CBF a todo instante.

Em várias conversas com Leóz, Teixeira está muito perto de conseguir que a Copa América de 2011 aconteça no Brasil. Seria um laboratório para o Mundial que o País pretende promover em 2014.

Se for mesmo aprovado o Brasil como sede de 2011, o presidente começará a promover reformas nos principais estádios do Brasil.

O primeiro, que é a sua fixação, é o Maracanã. A tendência de imitar Wembley e implodir o ultrapassado estádio carioca e construir um novo não está afastada. Só é necessária uma delicada operação de convencimento da opinião pública e manobra política.

 

 

Estadão

Deixe seu Comentário

Leia Também

TENTATIVA DE ESTUPRO
Vídeo mostra empresário assediando jovem na entrevista de emprego
PANE EM AVIÃO
'Sobrevivemos só com a água chuva', diz cantor de MT que ficou 24 dias na mata
PANDEMIA AINDA NÃO ACABOU
Pandemia avança e MS registra 555 novos casos de Coronavírus em apenas 24h
INCÓGNITA
Governo ainda não definiu como será o 13º de quem teve corte salarial
ANTICORPOS
Bebê nasce com anticorpos contra covid-19
Vítima contou violência sexual para a tia ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Idoso é denunciado por estuprar filha de amigos e a enteada
FENÔMENO DA NATUREZA
Evento raro: Lua Azul poderá ser vista no Dia das Bruxas
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa deposita auxílio emergencial nesta 5ª feira para nascidos em novembro
FOI MAL
Bolsonaro recua e revoga decreto que facilita privatização dos postos do SUS
90% RECUPERADOS
Brasil tem 158,4 mil mortes por covid-19 desde início da pandemia