Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 18 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

Brasil fabrica 130 milhões de cédulas de cem pesos para a Argentina

12 Jan 2011 - 05h34Por Folha.com
A Argentina importará do Brasil um total de 130 milhões cédulas de cem pesos (US$ 25), as de maior valor, para superar a falta de papel-moeda que se intensificou nos últimos dias e gera longas filas nos caixas eletrônicos.

Esta quantidade prevista inclui um aumento em 30 milhões de notas de cem pesos decidido nesta semana, anunciou a presidente do Banco Central da Argentina, Mercedes Marcó del Pont, perante o agravamento da escassez registrada no último fim de semana.

O vice-presidente da instituição, Miguel Angel Pesce, detalhou nesta terça-feira que, numa primeira etapa, já chegaram à Argentina "cerca de 9 bilhões de pesos (90 milhões de notas de 100) e para completar esta encomenda entrará mais 1 bilhão" nos próximos dias.

"Com esta provisão de notas, a situação de escassez é superada e não voltaremos a repetir os episódios que tivemos que passar em dezembro ou janeiro", assegurou Pesce a uma rádio de Buenos Aires.

O governo de Cristina Kirchner atribuiu a falta de papel-moeda a um maior nível de consumo da população, a uma elevação dos serviços bancários e à forte demanda de dinheiro pelas festas de fim de ano e férias de verão.

Já economistas e políticos opositores consideram que se trata de uma "imprevidência" do Banco Central e que o governo quer esfriar o consumo para controlar a alta inflação.

Um total de 113,131 bilhões de pesos (US$ 28,282 bilhões) em cédulas e moedas de diferentes valores estão em circulação na Argentina, segundo dados do Banco Central de 31 de dezembro.

A Casa da Moeda argentina, que possui maquinaria de 1970, tem uma capacidade de impressão entre 400 milhões e 500 milhões de notas anuais de diferentes valores, enquanto a demanda habitual é de 600 a 700 milhões de moedas neste período. O governo de Kirchner assinou, em novembro, um convênio com a Casa da Moda do Brasil para a impressão das notas.

ESCASSEZ

Muitos dos caixas eletrônicos das principais cidades da Argentina registram falta de notas desde o início de 2011, enquanto nos que estão em funcionamento os clientes extraem uma quantidade maior que a comum, por medo de não conseguir sacar nos dias seguintes.

A diretora do Estudio Bein & Associados, Marina dal Poggetto, disse que o governo deve avaliar "o que tem maior custo político, se a percepção de que faltam cédulas ou criar uma nota de maior valor" que a de cem pesos, o que significaria reconhecer uma inflação superior ao questionado índice oficial.

A inflação acumulada na Argentina entre janeiro e novembro de 2010 chegou a 10%, segundo o criticado índice do Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec), mas para os economistas privados a taxa é mais que o dobro.

O deputado Francisco de Narváez, um dos líderes do peronismo crítico do governo, disse que a escassez de notas constitui "o "corralito" de Cristina" Kirchner, referindo-se aos impactantes congelamentos de fundos bancários registrados em 2001, durante a pior crise econômica da Argentina.

"Ao não repor notas nos bancos, o governo fez com que as pessoas consumam menos", sustentou De Narváez à rádio Diez.

A Argentina registrou um crescimento de 8,9% no período janeiro-novembro de 2010 e, com exceção do fraco crescimento de 0,9% em 2009, seu Produto Interno Bruto se expande em índices semelhantes desde 2003.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Na calada da noite, namorado da avó estupra criança de 12 anos e é espancado por vizinhos
CONCURSO PÚBLICO
Concurso da Aeronáutica somam com as 21 mil vagas em outros concursos que a semana oferece
DEU RUIM
Jovem é atingido por raio enquanto usava celular no banheiro
PROVA DO ENEM
Confira as medidas de segurança durante a prova do Enem
SAIU O EDITAL
Com salário de até R$ 23,6 mil, Polícia Federal abre inscrição em concurso no dia 22
DESESPERO EM MANAUS
Médicos e familiares de pacientes descrevem colapso com falta de oxigênio em Manaus; leia relatos
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa libera saque da última parcela do auxílio emergencial a aniversariantes em julho
HORROR NA NOITE
Crianças são encontradas chorando ao lado de corpos de pais assassinados
DOR E DESCASO
Filho é obrigado abrir cova para enterrar próprio pai por não encontrar coveiro em cemitério
SEUS DIREITOS
Trabalhador afastado por Covid-19 tem direito a auxílio-doença do INSS