Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 15 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

BC: taxa de juros atinge maior nível desde junho de 2009

28 Abr 2011 - 07h23Por Terra

A taxa média anual de juros para pessoa física atingiu em março deste ano 45%, o maior índice registrado pelo Banco Central (BC) desde junho de 2009, quando índice foi de 45,6%, segundo informou nesta quarta-feira a autoridade monetária.

A taxa média de juros para empresas em março deste ano chegou a 31,3%, a maior desde novembro de 2008, quando foi de 31,35%. A média das taxas para pessoa física e jurídica foi de 39%, a maior desde março de 2009, quando registrou 39,2%.

De acordo com o chefe do departamento econômico do Banco Central, Túlio José Lenti, o aumento expressivo nas taxas de juros já era esperado e é reflexo das medidas de contenção do crédito e das tentativas de frear a inflação adotadas pelo governo.

"Esse crescimento mais moderado de crédito tem a ver com medidas monetárias mais restritivas. Refletem, ainda, os sucessivos aumentos da taxa básica de juros (que foi elevada para 12% ao ano na última reunião do Comitê de Política Monetária - Copom -, na última semana). Observamos um crescimento no mês e no trimestre mais moderado com relação ao que observamos em 2010, o crédito no mês cresceu 1%, no trimestre, 2,7%, taxas bem mais moderadas do que o observado em 2010, que foram de 2,7% e 7,7%, respectivamente", disse.

A restrição ao crédito às famílias pode ser notada, principalmente, na diminuição do ritmo do crescimento do crédito para a compra de carros: em março, o crédito para esse tipo de aquisição chegou a R$ 149,3 bilhões, uma alta de 1,7% em relação ao mesmo mês de 2010. No ano passado, no entanto, houve alta de 2,7% na comparação com março de 2009.

O crédito para financiamento imobiliário subiu 3% em março de 2011 na comparação com o mesmo mês de 2010, atingindo R$ 8,5 bilhões. O crédito pessoal subiu 1,7% no mês passado na comparação com março de 2010, chegando a R$ 215 bilhões. Já os recursos para cheque especial tiveram leve alta, de 0,4%, e atingiram, em março, o montante de 19,2 bilhões.

O cheque especial continua sendo a modalidade mais cara de crédito para as pessoas físicas. Em março, a taxa de juros para esse tipo de empréstimo atingiu 174,6%, contra 167,4% em fevereiro. O percentual de março é o maior desde dezembro de 2008, quando atingiu 174,9%. Os juros para aquisição de veículos também subiram, de 27,2% em janeiro e fevereiro deste ano, para 29,9% em março.

A inadimplência dos consumidores atingiu 5,9% em março, enquanto que a das empresas se manteve no mesmo patamar do ano passado, em 3,6%. Neste índice só são levados em consideração os atrasos nos pagamentos superiores a 90 dias. A média da inadimplência para pessoa física e jurídica ficou estável, em 4,7%.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAIU O EDITAL
Com salário de até R$ 23,6 mil, Polícia Federal abre inscrição em concurso no dia 22
DESESPERO EM MANAUS
Médicos e familiares de pacientes descrevem colapso com falta de oxigênio em Manaus; leia relatos
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa libera saque da última parcela do auxílio emergencial a aniversariantes em julho
HORROR NA NOITE
Crianças são encontradas chorando ao lado de corpos de pais assassinados
DOR E DESCASO
Filho é obrigado abrir cova para enterrar próprio pai por não encontrar coveiro em cemitério
SEUS DIREITOS
Trabalhador afastado por Covid-19 tem direito a auxílio-doença do INSS
COM DESCONTOS
Veja as opções de pagamento do IPVA com desconto
CASA PRÓPRIA
Casa Verde e Amarela substitui Minha Casa Minha Vida com opção para renegociar dívidas e menos juros
FINALISTA LIBERTADORES
Santos atropela Boca Jr e terá o Palmeiras numa final Brasileira
TRAGÉDIA NA PONTE
Motorista morre após caminhão cair de ponte