Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 29 de março de 2020
SADER_FULL
Busca
MEDICAL CENTER - POLONIO
Brasil

BC cria sistema para dar mais segurança ao setor financeiro

29 Jun 2004 - 13h47
A partir de julho, o Banco Central vai colocar em operação um sistema capaz de mapear o mercado de crédito bancário, com dados detalhados. A iniciativa deve resultar em maior segurança para o sistema financeiro, uma vez que permitirá um melhor controle, por parte dos supervisores do BC, das operações de crédito realizadas pelos bancos. Atualmente, cerca de 8 milhões dessas operações são realizadas pelos bancos em todo o país, todos os meses.

Além de melhorar a supervisão bancária, o sistema fornecerá aos bancos e às demais instituições financeiras informações mais rápidas e seguras sobre a capacidade de endividamento dos seus clientes que autorizarem a consulta. Os clientes, por sua vez, poderão acompanhar pela internet as informações que lhes digam respeito com maior facilidade.

O Sistema de Informações de Crédito (SCR), que já opera em fase de testes, vai substituir a Central de Risco de Crédito. Com maior controle dos empréstimos, a área de supervisão bancária poderá, inclusive, antever com maior precisão possíveis quebras de instituições financeiras e, assim, proteger os depositantes. O país reduz a possibilidade de ser surpreendido por falências bancárias como as dos bancos Econômico, Nacional e Bamerindus que, nos anos 90, levaram à criação do Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional (Proer) e à implementação da Central de Risco de Crédito, que agora será substituída.

Uma medida da complexidade do Sistema de Informações de Crédito é o fato de ele realizar quase 15 milhões de combinações de dados sobre as operações de crédito, enquanto os dados gerados pelo sistema anterior não permitiam nem cinqüenta combinações. Com isso, será possível saber qual o percentual de empréstimos por estado, por tipos de taxas e por prazos de pagamentos. Acredita-se que estudos apurados sobre o mercado de crédito brasileiro, gerados a partir do SCR poderão ser utilizados pelo Banco Central e pelo próprio governo federal para orientar a adoção e mesmo a revisão de políticas nessa área.

Enquanto o sistema anterior recebia, em média, 2 milhões de consultas externas por mês, o SCR permitirá até 40 milhões de consultas mensais, em um futuro próximo. O novo sistema incorpora os débitos dos clientes com responsabilidade total acima de R$ 5 mil, permitindo que os bancos utilizem-no para saber o grau de endividamento de empresas e de pessoas físicas, agilizando as decisões na hora da concessão do crédito.

Conhecendo melhor a quem empresta, os bancos evitarão os maus pagadores e, conseqüentemente, a inadimplência tende a cair juntamente com os custos administrativos, diminuindo o impacto desses fatores nos juros dos empréstimos bancários.

Para os responsáveis pela área de informática do Banco Central, o Sistema de Informações de Crédito representou um desafio sem precedentes para a modernização tecnológica na Instituição. O resultado foi a construção de um sistema moderno, capaz de suportar um alto nível de consultas e, ao mesmo tempo, armazenar a maior base de dados existente no BC, só comparável aos do sistema de controle de Câmbio.

As informações são do Banco Central

Deixe seu Comentário

Leia Também

REUNIÃO TENSA
‘Estamos preparados para ver caminhões do Exército com corpos?’, questiona Mandetta a Bolsonaro
BRASIL 117 MORTES
Casos de coronavírus no Brasil em 29 de março
FÁTIMA DO SUL - ATENÇÃO COMÉRCIO
Em novo Decreto, confira o que vai poder abrir e permanecer fechando nesta segunda em Fátima do Sul
CORONAVÍRUS NO BRASIL
Justiça suspende trecho decreto de Bolsonaro que livra igrejas de quarentena
CORONAVÍRUS NO BRASIL
Senado votará na segunda auxílio de R$ 600 para trabalhadores
TRABALHO VOLUNTÁRIO
Detentas começam confeccionar máscara de proteção para atender Jateí, Vicentina e Fátima do Sul
COVID-19 NO BRASIL
Brasil tem 92 mortes e 3.417 casos confirmados de novo coronavírus, diz Ministério da Saúde
PANDEMIA CORONAVIROS
São Paulo tem 68 mortos por coronavírus, média de uma a cada 2 horas e 20 minutos, e 1.223 casos
LINHA DE CRÉDITO
Governo lança pacote de R$ 40 bi para socorrer pequenas e médias empresas
AMOR AO PROXIMO
Xuxa vai doar R$ 1 milhão ao SUS para combate ao coronavírus