Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 18 de agosto de 2022
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Banco e Serasa são condenados por negativação indevida

15 Set 2010 - 10h36Por Diário Net
O banco Panamericano e a Serasa foram condenados a indenizar um consumidor de São Sebastião (DF) em R$ 6 mil por terem negativado seu nome. O problema é que ele estava sendo cobrado por um contrato com assinatura falsa feito em São Paulo.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo (Ibedec), em vez de agir preventivamente e baixar as restrições em nome do consumidor até que apurassem o caso, o banco e a Serasa inverteram a lógica, informando que ele ficaria negativado até prova em contrário.

A vítima registrou, então, boletim de ocorrência na Delegacia de Defraudações da Polícia Civil e recorreu ao judiciário. A juíza Grace Correa Pereira, da 6ª Vara Cível de Brasília, determinou que a dívida fosse considerada nula, o cartão de crédito emitido cancelado e o Panamericano e Serasa condenados a indenizar o consumidor em R$ 6 mil.

O presidente do Ibedec, José Geraldo Tardin, informou que de janeiro a setembro 83 consumidores procuraram o instituto somente em Brasília sobre o mesmo problema. Para facilitar a ação em casos como esses Tardin dá as seguintes orientações:

- ao saber de fraudes com seus documentos e dívidas contraídas em seu nome, o consumidor deve registrar boletim de ocorrência na polícia.

- quem tiver documentos furtados ou perdidos também deve registrar BO para se precaver de clones e, se possível, publicar um anúncio nos classificados de jornais locais para comunicar a situação.

- o consumidor deve pedir o cancelamento do contrato feito em fraude diretamente ao agente financeiro, bem como a baixa da restrição de crédito em seu nome.

- caso o banco não responda ao pedido de cancelamento em até 30 dias ou insista na negativação, o consumidor deve recorrer ao judiciário, pedindo o cancelamento do contrato e indenização por danos morais.

- As ações até de valor de até 20 salários mínimos podem ser propostas nos juizados especiais, sem necessidade de advogado. As causas até 40 salários mínimos podem ser propostas nos juizados, mas exigem a presença de advogado.

Leia Também

TRÁGICO ACIDENTE DE TRABALHO
Trabalhadores morrem soterrados após desmoronamento de terra em obra
AÇÕES DO GOVERNO MS
Governador participa da posse de Alexandre e reafirma importância do Estado Democrático de Direito
HOMOFOBIA
Gilberto Barros é condenado a dois anos de prisão por homofobia
VANDALISMO
Brasileiro com oito esposas tem casa pichada: 'Família do demônio'
FEIRA DO ARTESANATO
Divulgada a lista provisória dos selecionados para participação na Feira do Artesanato em Fortaleza
MORADIA
Projeto cria programa para auxiliar professores na compra de casa própria
CARTÃO DE CRÉDITO
Um em cada três brasileiros foi vítima de fraude com cartão de crédito
ACIDENTE FATAL
Motociclista de 27 anos bate na traseira de trator e morre em vicinal
TRAGEDIA NA RODOVIA
Sete pessoas morrem e três ficam feridas em acidente entre caminhão e van
AUXILIO POPULAÇÃO
Governo libera empréstimo consignado para beneficiários do Auxílio Brasil