Menu
SADER_FULL
quinta, 2 de julho de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Aumenta negociação de milho produzido em MS no leilão da Conab

18 Jun 2010 - 05h30Por Notícias.MS

Mato Grosso do Sul comercializou ontem (17) 72,5% do total de 80 mil toneladas de milho ofertados no Leilão de Prêmio de Escoamento de Produto (PEP), realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O volume vendido, equivalente a 58 mil toneladas, foi superior aos 68,75% comercializados no último pregão, no dia 8 deste mês.

De acordo com o superintendente de Administração Tributária, Jader Rieffe Julianeli Afonso, as quantidades negociadas apresentaram melhora, mas ainda não houve reflexo do desconto de 67% concedido pelo governo do Estado no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para o milho comercializado no PEP, pois a medida foi comunicada ontem (16) às empresas e muitas delas têm o escritório central em outros Estados. “Mesmo assim foram comercializadas três mil toneladas a mais que no leilão da semana passada”, diz Jader.

O superintendente também acredita que a criação de mais uma região no Estado com valor do prêmio diferenciado anunciada nesta segunda-feira (14) pela Conab vai impulsionar a venda do milho produzido em Mato Grosso do Sul. Com a nova regulamentação da Companhia Nacional de Abastecimento, Mato Grosso do Sul foi dividido em duas partes: a Região 1, que compreende o Norte do Estado tem valor do prêmio a R$ 5,52 a saca de 60 quilos e a Região 2, abrangendo os municípios do Sul do Estado tem prêmio de R$ 4,62. O prêmio pago pela Conab é acrescido ao valor comercial do produto para compensar o custo do frete e difere por Estado de acordo com as distâncias em relação ao porto de escoamento.

Desconto

A determinação do governador, que diminui de 12% para 3,9% a carga tributária do milho, atende reivindicação do setor produtivo que alegava a baixa comercialização do grão nos leilões anteriores em virtude da tributação. O ICMS incide sobre o Valor Real Pesquisado do produto, que atualmente é de R$ 13,80 a saca de 60 quilos para operações internas e R$ 19,80 a saca de 60 quilos para operações interestaduais.

O governador André Puccinelli já havia concedido desconto de 60% no início deste mês, o que elevou a venda do produto no leilão realizado no dia 8, quando foram negociadas 55 mil toneladas de milho, o equivalente a 68,75% da cota fixada para Mato Grosso do Sul, que é de 80 mil toneladas. O volume foi superior ao negociado no pregão no final do mês de maio, que totalizou 13 mil toneladas.

A redução do imposto nas operações interestaduais vai possibilitar maior competitividade do milho produzido em Mato Grosso do Sul no mercado interno e externo, além de viabilizar o escoamento do produto e abrir espaço nas unidades estocadoras. O reflexo também será sentido no preço pago ao produtor rural, incluindo a agricultura familiar, que poderá receber mais pelo produto no ato da venda.

Para o presidente da Federação da Agricultura de Mato Grosso do Sul (Famasul), Eduardo Riedel, a diminuição na carga tributária “ajuda a melhorar a competitividade do nosso produto”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ELEIÇÕES 2020
Câmara dos Deputados aprova em primeiro turno adiamento das eleições municipais de 2020
100 INTERMEDIÁRIO
Venda direta de etanol das usinas para postos pode aumentar concorrência, diz Bolsonaro
CICLONE BOMBA NO BRASIL
CICLONE BOMBA: Sobe para 10 o número de mortos no Sul do país, VEJA OS ESTRAGOS
FURIA DA NATUREZA
Ao menos nove pessoas morreram devido a ciclone que atingiu Região Sul
NOTÍCIA BOA - BORA COMPARTILHAR
Teste de vacina de COVID-19 funciona e Pfizer pode produzir 1 bi de doses
FÁTIMA DO SUL - INAUGURADO
Fátima do Sul é a escolhida para a 4ª Unidade do Posto Alvorada que comemora 20 anos de sucesso
COVID-19
Brasil tem 1.409.693 casos de Covid-19, aponta consórcio de veículos da imprensa em boletim das 8h
TORMENTA
Tempestade e ventos fortes causam destruição em cidade: “Parece filme de terror”
DIDI
Renato Aragão deixa a Globo, após 44 anos
+ 1.200 REAIS
Governo vai aceitar pagar mais duas parcelas de R$ 600 do auxílio emergencial