Menu
SADER_FULL
quinta, 24 de setembro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Aumenta em 45% a distribuição nas Turmas Criminais do TJMS

16 Jul 2010 - 10h39Por TJMS
A distribuição de processos criminais em 2º grau teve aumento de 45,65% no primeiro semestre de 2010 em relação ao mesmo período de 2009. De 2.940 processos distribuídos em 2009, o número foi para 4.282, o que demonstra que a demanda na área criminal em Mato Grosso do Sul teve forte elevação.

O número de processos julgados também cresceu e registrou aumento de 35%, com 4.077 ações julgadas somente nas turmas criminais, no primeiro semestre deste ano, enquanto em 2009 foram julgados 3.018.

O tráfico ilícito de drogas ocupa o primeiro lugar em quantidade de recursos, seguido do furto e do roubo. Para o desembargador Romero Osme Dias Lopes, membro da 2ª Turma Criminal do TJMS, isso se deve ao grande número de feitos e das vacilantes doutrina e jurisprudência quanto ao tratamento criminal que deve ser dado àqueles considerados "mulas". O desembargador informa que além das irresignações quanto às condenações, são muitos os recursos para reanálise da pena aplicada, e constantes os agravos no curso da execução da pena.

O TJ é responsável pelas revisões criminais ou ações penais cuja parte possua foro por prerrogativa de função, além de habeas corpus, e tem vivenciado um aumento extraordinário de feitos, que se deve ao fácil acesso do jurisdicionado, além dos mutirões de julgamento. “A rapidez com que os feitos criminais são julgados é fato que estimula a interposição de recursos, pois se sabe que a resposta virá a tempo, muitas vezes, de se fazer justiça, e não se transformando em mais uma vã expectativa por infindáveis anos, como, infelizmente, ocorre em outros Estados”.

Outro item relevante destacado pelo magistrado é que se deve levar em conta a própria falência do sistema carcerário reconhecida pelo Estado e a superlotação e o domínio das facções criminosas.

As recentes matérias veiculadas na mídia pelo Conselho Nacional de Justiça, nas quais se propõe uma discussão sobre a pena no Brasil, seus aspectos, espécies e finalidades, refletem na população a sensação mais liberal do Estado sobre a justiça criminal.

As pautas de julgamento da 2ª Turma Criminal, em regra, são bastante extensas e as sessões não raro estendem-se pela noite. Os magistrados componentes evitam que os processos fiquem parados mesmo com a saída de um dos julgadores por ocasião de férias ou licença, designando-se substitutos para dar prosseguimento às votações nos casos de réus presos e de habeas corpus. As sessões da 1ª Turma Criminal também possuem muitos processos pautados e a conclusão dos julgamentos tem ocorrido também em sessões extraordinárias.

Conforme o desembargador João Carlos Brandes Garcia, integrante da 1ª Turma Criminal do TJMS, o crime que tem apresentado maior incidência na justiça estadual é o de tráfico de entorpecentes, que representa mais de 60% dos processos julgados naquela turma.

O magistrado atribui o aumento de processos criminais à taxa de crescimento que tem sido constante no TJMS em todos os âmbitos, e também à atuação do CNJ, com a instituição de mutirões e estabelecimento de metas de produtividade. “Houve um sensível aumento de decisões em 1º grau e, consequentemente, de número de recursos. Entre os meses de agosto e setembro de 2010 já teremos superado a taxa de distribuição de todo o ano de 2009”.

Reforma de Sentença
Ainda conforme o desembargador Brandes Garcia, as causas que têm originado recursos são diversas, e devidas as garantias constitucionais que informam tanto o Direito Constitucional quanto o Penal e o Processual Penal, de natureza garantista. “A exemplo dessas variadas causas, observo que as que tratam da fixação da pena podem ser incluídas entra as mais comuns”.

O desembargador ressalta que outra forte razão para a elevada incidência de crimes relacionados com o tráfico de entorpecentes deve-se certamente não só à presença próxima de fronteiras, mas também com a maior vigilância e ação por parte das autoridades policiais.

De acordo com o desembargador Romero, as decisões recorridas são mantidas na maioria das vezes, desde que calcadas nas teorias penais modernas e que fazem a verdadeira justiça. “Creio que isso se deve ao bom trabalho dos magistrados na origem, e, claro, à presença essencial do advogado, pois o bom defensor tem que se contrapor ao órgão acusador, com elementos de convicção sedimentados na ampla defesa. A palavra final sempre deve ser do judiciário, que é o órgão máximo na defesa do cidadão”. O magistrado ressalva que eventual condenação tem que ser cercada de todas as garantias constitucionais que asseguram um julgamento justo, humano e isento, sem a influência do clamor público.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Só queria que me entendessem sem preconceito! PRECONCEITO
Jovem é expulso de casa ao assumir namoro com mulher trans
Yan e um comparsa renderam mãe e filha na rua CRIMINOSO
Bandido morto pela PM arrancou família de carro e agrediu mulher uma semana antes
O diesel não sofreu reajuste. + ALTA
Gasolina sobe 4% nas refinarias, anuncia Petrobras
O total de mortes causadas por covid-19 chega a 138.108, um acréscimo de 0,6% sobre a soma de segunda Saúde
Covid-19: Brasil tem 33,5 mil novos casos e 836 mortes em 24 horas
HERANÇA PORTUGUESA
A herança portuguesa na vida cotidiana do Brasil
Os beneficiários nascidos em janeiro  3,9 milhões de pessoas  poderão sacar AJUDA FINANCEIRA
Caixa paga nova parcela do auxílio emergencial para 5,6 milhões de pessoas
o maior programa de assistência aos mais pobres no Brasil e talvez um dos maiores do mundo PRESIDENTE NA ONU
Bolsonaro diz que brasileiros receberam mil dólares de auxílio
Imagem: Reprodução/Balanço Geral Londrina FUGA EM MASSA
Presos fogem de cadeia após surto de Covid-19
Material estava dentro de uma bexiga e enrolado com fita isolante PROFUNDEZAS DO CRIME
8 celulares e outros materiais são retirados do ânus de preso
Na Pandemia, filas são imensas na CEF de Fátima do Sul-MS AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa libera hoje saques do auxílio emergencial para mais 3,6 milhões