Menu
SADER_FULL
quarta, 22 de setembro de 2021
Busca
Brasil

Assunção deixa renovação nas mãos da diretoria

26 Jan 2011 - 14h56Por

Apesar de ter sido um dos destaques do Palmeiras na temporada, o volante Marcos Assunção ainda não foi procurado pela nova diretoria do clube para tratar de sua renovação de contrato.

O vínculo do jogador expira em julho deste ano e ele aguarda uma decisão do comando palmeirense para decidir seu futuro.

"Eu estou tranquilo. Se eles quiserem renovar, bom, se não, a gente vai continuar trabalhando da mesma maneira.

Correndo, treinando igual, tudo em busca da felicidade dos jogadores, da diretoria, do treinador e da tranquilidade no Palmeiras", afirmou o volante.

Marcos Assunção assinou contrato com o Palmeiras após o término do Campeonato Paulista do ano passado, em que se destacou defendendo o Grêmio-SP.

Com a camisa do clube, ele marcou dez gols na temporada passada, mas disse que deixará a decisão de renovar seu contrato nas mãos da diretoria do Verdão.

"Se renovar, ficarei super feliz, se não, não tem problema. Deixo para a diretoria. Não quero fazer nenhum tipo de pressão, dizer que quero ficar.

Jamais vou vir aqui falar alguma coisa. Tenho um contrato e quero cumprir, a diretoria que vê se eu estou merecendo [a renovação]", afirmou Assunção.(Gazeta Esportiva.net)

Deixe seu Comentário

Leia Também

HOMICIDIO X SUICÍDIO
Marido mata esposa e tira própria vida; criança de 3 anos pede socorro a vizinho
NEGLIGÊNCIA
Criança de 2 anos ao volante mata prima de 3 anos atropelada
CARROS SEMINOVOS
Como fazer uma boa escolha de veículos seminovos
LUTO NA TV
Ator Luis Gustavo morre aos 87 anos, vítima de câncer
EM DECLINIO
Covid-19: Brasil registra 21,2 milhões de casos e 590,7 mil mortes
TSUNAMI NO BRASIL?
Brasil pode ser atingido por tsunami; entenda
SERPENTE
Rapaz de 18 anos é atacado por jararaca durante pescaria
TRIBUNAL DO CRIME
Traficantes enterram mulher viva para vingar denúncia
TEMPESTADE
Temporal derruba árvore sobre carros e deixa bairros no escuro
VOLTOU A SUBIR
Covid-19: ministério registra 34,4 mil casos e 643 mortes em 24 horas