Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 3 de junho de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Arrecadação de impostos bate recorde em fevereiro

16 Mar 2007 - 05h50

A arrecadação do governo federal bateu novo recorde em fevereiro, R$ 30,5 bilhões. Foi a primeira vez que um mês de fevereiro ultrapassou a marca dos R$ 30 bilhões. O resultado confirma a tendência de crescimento verificada há vários anos.

A arrecadação do governo engloba impostos e contribuições federais, "royalties" e concessões. Em tributos, foram arrecadados R$ 29,8 bilhões em fevereiro, com crescimento real de 8,7% sobre o mesmo mês de 2006, e, nas demais receitas foram arrecadados outros R$ 786 milhões no mês passado - com queda de 20,8%. Deste modo, a arrecadação recorde de fevereiro está ligada unicamente ao desempenho dos tributos federais.

De acordo com a Receita Federal, os destaques do mês passado foram o pagamento de impostos feitos por instituições financeiras e, também, de débitos em atraso. Contra fevereiro de 2006, quando somou R$ 28,4 bilhões, a arrecadação total teve crescimento real (acima da inflação) de expressivos 7,7%.

No acumulado do primeiro bimestre deste ano, por sua vez, a arrecadação somou R$ 69,167 bilhões, com aumento real de 9,3% sobre os dois primeiros meses de 2006. No bimestre, a arrecadação também bateu novo recorde histórico para este período, confirmou a Receita Federal.

Bancos, débitos em atraso e IR

No último mês, a arrecadação cresceu em parte pela antecipação de pagamentos de instituições financeiras relativos à declaração de ajuste do ano passado. Somente em Imposto de Renda (IR) foram pagos R$ 650 milhões (contra R$ 460 milhões no mesmo mês de 2006), e, na Contribuição Social Sobre Lucro Líquido (CSLL), outros R$ 264 milhões (contra R$ 237 milhões).

Houve ainda arrecadação atípica relativa a débitos em atraso, no total de R$ 173 milhões do IR e de outros R$ 80 milhões no caso da CSLL. No caso da pessoa física, houve um aumento de R$ 30 milhões na declaração do IR relativo a maiores ganhos de capital na alienação de bens ocorridos em 2006. A arrecadação do Imposto de Importação, resultado do maior volume de compras do exterior - devido ao baixo valor do dólar - e da Contribuição Provisória Sobre Movimentação Financeira (CPMF) também registraram crescimento.

No acumulado do primeiro bimestre deste ano, ainda segundo a Receita Federal, o crescimento do IR de pessoa física foi de R$ 400 milhões, também por maiores ganhos na alienação de bens. Sobre as pessoas jurídicas, houve maior antecipação de pagamentos de IR e CSLL dos bancos, que somaram, respectivamente, R$ 1,24 bilhão e de R$ 745 milhões.

 

 

G1

Deixe seu Comentário

Leia Também

COISA MEDONHA
Mulher é desenterrada e estuprada um dia após ser sepultada
DOURADOS - NOVO EPICENTRO COVID-19
Dourados é novo epicentro do coronavírus em MS com mais de 300 casos confirmados
AUXÍLIO EMERGENCIAL
Caixa LIBERA 2ª parcela do auxílio de R$ 600 em contas dos beneficiários, veja os meses
ABSURDO
Médica relata ter sofrido agressões por parte de frequentadores de 'festas de corona'
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Menino de 9 anos, acidentalmente mata irmã de 7 anos com espingarda
TRAGEDIA NA RODOVIA
Mulher gravida e marido morrem e criança fica ferida em acidente trágico
PANDEMIA CORONAVIROS
Vai ser ''um massacre'', diz ex-diretor da Saúde sobre flexibilizar isolamento
BOA NOTICIA
Bolsonaro diz que auxilio emergencial pode ter quarta parcela, mas pagando menos
PRAZO MÁXIMO
Acordo prevê máximo de 20 dias para análise de auxílio emergencial
FÁTIMA DO SUL - BOLETIM CORONAVÍRUS
BOLETIM: Fátima do Sul tem mais 04 casos confirmados, sobe para 69 e tem 12 pacientes recuperados