Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 28 de julho de 2021
Busca
Brasil

Após eliminação, Dunga confirma saída do comando da Seleção

2 Jul 2010 - 13h12Por Terra

O técnico Dunga confirmou, logo após a eliminação da Seleção Brasileira da Copa do Mundo da África do Sul, que não seguirá no comando da equipe. Nesta sexta-feira, o time dirigido pelo ex-jogador perdeu de virada para a Holanda, por 2 a 1, e deu adeus ao sonho do hexa nas quartas de final.

"Quanto ao meu futuro, já se sabe bem desde que cheguei à Seleção que eram quatro anos que eu ia ficar", afirmou o treinador, na sala de entrevistas do Estádio Nelson Mandela Bay.

"Ninguém prepara um time para perder. Sempre tentamos motivar para buscar o resultado. Claro que o nervosismo veio pelo fato de o adversário virar. Pelo comprometimento que eles vinham tendo... Poucas vezes você vê uma seleção 52 dias sem folga e ninguém reclamar. Sem polêmica, as coisas transcorreram com muita transparência. Os jogadores viam nessa Copa a grande oportunidade de fazer carreiras. Aí você acaba acelerando as coisas. Isso acaba fazendo com que o jogador fique nervoso no jogo".

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID-19
Em dia de aumento de casos Brasil tem 1333 óbitos por Covid - 19 nas últimas 24 horas
CONCURSO PÚBLICO
Caixa Econômica convocará 9 mil de concursos e abre mais mil vagas
BRASIL - 550.502 MORTES
Covid-19: país ultrapassa 550 mil mortes e tem 19,7 milhões de casos
COVID 19 NO BRASIL
Brasil registra 19,68 milhões de casos de covid-19 e 549,92 mil mortes
Foto: Mycchel Legnaghi - São Joaquim online PREVISÃO DO TEMPO
Maior frio do ano? Temperaturas negativas, geada e até neve!
TRABALHO ESCRAVO
Aliciamento de crianças: família de líderes religiosos é presa em operação da polícia
ATO OBSCENO
Homem é detido após entrar nu em culto evangélico
TRAIÇÃO
Vídeo: Mulher flagra marido com travesti dentro do carro e 'pancadaria come solta'
COVID 19 NO BRASIL
Brasil tem 1 órfão por covid a cada 5 minutos: 'Pensamos que crianças não são afetadas, mas sim
SELEÇÃO OLIMPICA
Brasil ameaça passeio em estreia contra a Alemanha, mas desperdiça chance de goleada histórica