Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 11 de agosto de 2020
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Apontada irregularidade em conta de ex-prefeito de Vicentina

29 Mar 2007 - 15h39

O Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul (TCE/MS), em sessão do Pleno realizada nesta quarta-feira (28/03), sob a presidência do conselheiro Cícero Antônio de Souza, analisou 71 processos, dos quais considerou 29 como irregulares. Destes, cinco processos referem-se ao descumprimento de Decisão Simples proferida pelo TCE/MS, que determinava a Prefeitura Municipal de Caarapó, na gestão do ex-prefeito, Guaraci Boschilia (2004) a rescisão de contratação de servidores e cancelamento de quaisquer pagamentos, nos termos do artigo 123 do Regimento Interno do Tribunal de Contas, sob pena de impugnação dos valores.

 

Além disso, foram analisados vários pedidos de reconsideração por parte de prefeituras do interior, nos quais as Decisões Simples considerando as prestações de contas como irregulares foram mantidas pelos conselheiros. Esse foi o caso, por exemplo, do ex-prefeito de Vicentina, Francisco Alves Filgueiros (exercício de 2004), que teve impugnado os valores de R$ 6.400,00 referente a despesas realizadas com a publicação de matérias em jornais, sem comprovação do conteúdo da publicação; R$ 5.000,00, referente a pagamento de despesas sem retenção dos impostos devidos; R$ 1.368,85, por pagamento de despesas sem discriminar as pessoas beneficiadas; e ainda, R$ 10.984,80 referentes as despesas realizadas e estranhas ao objetivo do Órgão, determinando a sua restituição e recolhimento aos cofres municipais devidamente atualizados na forma legal.
         

Também o ex-prefeito de Pedro Gomes, Enivaldo Dias Pedroso teve os seus pedidos de reconsideração negados, nos contratos 006/2004 e 474/2004. De acordo com as Decisões Simples aprovadas na 2ª Câmara e mantidas pelo Tribunal Pleno, os referidos contratos foram declarados ilegais e irregulares. O primeiro, no procedimento licitatório e na formalização do instrumento contratual; e o segundo, na execução contratual. Com isso, a multa de 200 Uferms foi mantida, e a impugnação de R$ 4.000,00 referente a diferença entre o valor do empenho e o valor das notas fiscais.

       

Já o ex-prefeito de Bodoquena, Ramão Francisco Anis Martins foi multado em 100 Uferms e obteve o Parecer Prévio Contrário à Aprovação das Contas no exercício de 2004, pelo não cumprimento das Obrigações Constitucionais nas ações e serviços públicos de saúde. Em alguns dos processos acima, cabe recurso por parte do jurisdicionado. Com informações do TCE/MS.
 
 
 
 
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

DESRESPEITOSO
Bolsonaro é alvo de ação por falas sobre mulheres
HORÓSCOPO DO DIA
Horóscopo desta terça-feira 11 de agosto de 2020
ALERTA NA PANDEMIA
Médica explica por que o coronavírus é devastador em pacientes cardíacos
DESESPERO
Áudio mostra paciente que morreu com a Covid-19 implorando para ser entubada
SEQUESTRO
Pai é morto pela polícia ao ameaçar matar filha de três anos em milharal
BORA PRA BONITO - MS
Porque ir a Bonito MS?
VITIMA DA COVID 19
“Peguei essa doença fazendo o que amo”, escreveu médico de 32 anos que morreu de Covid-19
POLÊMICA
Fantástico detona secretário de Saúde por usar kit covid em MT
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Mãe vai à igreja e filho de 21 anos estupra irmã de 8
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
Linha de cuidados pessoais do Boticário traz produtos com Vitamina E e D-Pantenol, confira aqui