Menu
SADER_FULL
sexta, 18 de junho de 2021
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
Brasil

Anvisa proíbe capina química e gera polêmica

8 Fev 2010 - 13h11Por Notícias.MS

Segundo a definição da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a capina química em áreas urbanas expõe a população ao risco de intoxicação, além de contaminar a fauna e a flora local.

Na segunda-feira, a agência emitiu nota esclarecendo a proibição desta prática nos municípios brasileiros. O diretor da Anvisa, Dirceu Barbano, havia mencionado na ocasião que “inúmeras denúncias sobre a realização dessa prática ilegal e questionamentos da sociedade sobre a real necessidade da pulverização desses produtos químicos em ruas, calçadas, praças e parques das cidades”. Devido à ausência de segurança toxicológica, desde 2003 é proibida a aplicação de agrotóxicos em áreas urbanas.

A questão seria a preservação da saúde da população das cidades com a informação de que os herbicidas indicados para o uso urbano seriam os mesmos utilizados na agricultura, os quais possuem regras restritas para manipulação, aplicação e acesso posterior às áreas tratadas, como, por exemplo, o prazo de 24h na restrição dos locais onde o produto for aplicado, o que não acontece nas cidades.

Porém, o Diário MS Online recebeu do leitor Antonio Giovani Machado Menezes um e-mal contestando esta proibição com relação ao produto ‘glifosato’, que, segundo Antonio, é totalmente degradável e apresenta ‘faixa verde’ na classificação de sua toxicidade. “O produto é comprovadamente inofensivo ao solo ou ao meio ambiente”, disse.

Antonio menciona que “qualquer produtor, por mais leigo que seja, sabe que se usa-lo com água suja ou barrenta prejudica seu funcionamento”.

Antonio disse ainda que outros produtos “faixa vermelha”, altamente tóxicos e cancerígenos são comercializados livremente no Estado.

No final da nota, o leitor desabafa: “Diante disso tudo, só posso dizer que o nosso nobre diretor da Anvisa, não tem qualquer respaldo técnico em suas afirmações, levando-nos a crer que o mesmo está completamente “desanvisado” e desinformado com relação a herbicidas”.

Na terça-feira, a reportagem do Diário MS esteve nas ruas para apurar se o comércio específico desses produtos estava ciente das proibições. A maioria além de não saber, ficou completamente espantada com a proibição, alegando que o produto não traria qualquer dano às pessoas nas áreas urbanas.

Vale lembrar que a proibição continua, e que, para manusear qualquer produto tóxico é necessário o acompanhamento de pessoas especializadas no assunto.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

VIDEO
Cliente carrega mangueira sem perceber e bomba pega fogo em posto de combustível de Foz do Iguaçu
AÇÕES DO GOVERNO MS
Reinaldo Azambuja propõe projeto com Itaipu para combater assoreamento nos rios Iguatemi e Amambai
COPA X VIRUS
'Desse jeito, o vírus vai levantar a taça', diz deputado após 52 infectados na Copa América
FAMOSIDADES
Apresentador mostra fotos de viagens românticas com filha de Faustão e se declara
SEIS DIAS DE TERROR
Homem mata uma família e aterroriza moradores em seis dias de fuga deixando rastros de crimes
TRISTEZA E COMOÇÃO
Jovem engenheiro morre em acidente com moto e comove cidade
MUI AMIGO
Homem obriga mulher de amigo a fazer sexo oral e leva surra em delegacia
DOENÇA DO SÉCULO
Homem de 33 anos deixa carta de despedida e tenta pular de ponte
ABSURDO
Família registra boletim de ocorrência após vitima de covid ser sepultado em cemitério errado
ANTECIPAÇÃO
Governo antecipa pagamento de parcelas do auxílio emergencial