Menu
SADER_FULL
sábado, 12 de junho de 2021
Busca
Brasil

André critica antecessor, Judiciário, promotor e delegados da Polícia

10 Dez 2009 - 15h24Por Mídia Max

 


Num discurso recheado de críticas, o governador André Puccinelli, do PMDB, atacou nesta manhã o ex-governador Zeca do PT, seu virtual adversário no ano que vem o Poder Judiciário, o Ministério Público Estadual e os delegados da Polícia Civil.

As declarações de Puccinelli surgiram durante a entrega de viaturas, coletes e armas, na sede do comando da Polícia Militar, no Parque dos Poderes, na manhã desta quinta-feira.

O governador disse discordar do mutirão carcerário, um projeto do Judiciário brasileiro, que liberta preso que já cumpriu a condenação, mas que ainda é mantido nas penitenciárias devido à morosidade da justiça. Para Puccinelli, a liberação de presos “justamente” no final de ano “complica” a segurança.

O segundo ataque Puccinelli destinou ao ex-governador Zeca do PT. Ele disse que no final do governo petista, em 2006, havia somente 300 viaturas nas ruas e, naquele ano os militares que cursavam a academia para ingressar na corporação tiveram de suspender os estudos porque “não recebia o bolsa salário”. Ele não revelou quantas viaturas atuam hoje.

André Puccinelli disse também que seu governo teve de devolver uma quantia não revelada por ele de recursos vindos por meio do Funresp, um fundo vindo da União que deveria ser aplicado na segurança. “Por irregularidade. Irresponsabilidade de quem mandava na segurança, o Zeca, o Dagoberto ( deputado federal do PDT, aliado de Zeca) e Almir Paixão (ex-secretário de Segurança Pública no período governador por Zeca).

Na sequencia, o governador criticou um promotor de Justiça do “leste do Estado” que teria cobrado a construção de presídios. “Aceito que meu governo seja fiscalizado, mas não assim. Isso [cobrar presídio] não é atribuição dele [do promotor], é do Executivo”.

Outro recado atingiu um grupo de delegados da Polícia Civil, os quais, segundo Puccinelli, estariam fazendo campanha política nas delegacias. “Ninguém tá lá para torcer pelo Santos e, sim, pela corporação. Eu proíbo que se façam campanhas, que sei que acontecem”, disse o governador que completou olhando para o diretor da Polícia Civil, Jorge Razanauskas. “Não é Razanaukas?”.

No final, Puccinelli reservou mais um ataque a Zeca do PT. Ele disse que hoje o servidor estadual recebe o salário em dia e que isso não acontecia no governo anterior. “Cumpro a legislação trabalhista, ele não cumpria”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CÓDIGO DE TRÂNSITO
Mudanças no código de trânsito brasileiro e suas implicações para motoristas
ESPORTE PELO MUNDO
Em fase artilheira no Cazaquistão, lateral Bryan, ex-Cruzeiro, valoriza presença e relacionamento
FOTO: Só Notícias / Luan Cordeiro / ASSESSORIA COPA AMÉRICA 2021 - NO BRASIL
COPA AMÉRICA: Confira as 06 Seleções que jogarão na Arena Pantanal
biden vacinas capa 696x487 SOLIDARIEDADE
Biden anuncia que vai mandar vacinas para o Brasil e outros países
FENÔMENO RARO
Junho tem Eclipse Solar, Lua de Morango e dia mais longo do ano
PROTESTOS PELO BRASIL
29M pelo fora Bolsonaro chegou a mais de 200 cidades e ganhou as redes sociais
ATENTADO AO PUDOR
Prostitutas exibem partes íntimas no meio da rua, moradores reclamam, Vídeos
NA BRONCA
Bolsonaro aciona STF contra decretos estaduais que impõem restrições para conter Covid-19
BARBÁRIE
Homem encontra partes do corpo do filho em rio
FENÔMENO RARO
Super Lua de Sangue e Eclipse total acontece nesta quarta