Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 30 de novembro de 2021
SADER_FULL
Busca
Brasil

André critica antecessor, Judiciário, promotor e delegados da Polícia

10 Dez 2009 - 15h24Por Mídia Max

 


Num discurso recheado de críticas, o governador André Puccinelli, do PMDB, atacou nesta manhã o ex-governador Zeca do PT, seu virtual adversário no ano que vem o Poder Judiciário, o Ministério Público Estadual e os delegados da Polícia Civil.

As declarações de Puccinelli surgiram durante a entrega de viaturas, coletes e armas, na sede do comando da Polícia Militar, no Parque dos Poderes, na manhã desta quinta-feira.

O governador disse discordar do mutirão carcerário, um projeto do Judiciário brasileiro, que liberta preso que já cumpriu a condenação, mas que ainda é mantido nas penitenciárias devido à morosidade da justiça. Para Puccinelli, a liberação de presos “justamente” no final de ano “complica” a segurança.

O segundo ataque Puccinelli destinou ao ex-governador Zeca do PT. Ele disse que no final do governo petista, em 2006, havia somente 300 viaturas nas ruas e, naquele ano os militares que cursavam a academia para ingressar na corporação tiveram de suspender os estudos porque “não recebia o bolsa salário”. Ele não revelou quantas viaturas atuam hoje.

André Puccinelli disse também que seu governo teve de devolver uma quantia não revelada por ele de recursos vindos por meio do Funresp, um fundo vindo da União que deveria ser aplicado na segurança. “Por irregularidade. Irresponsabilidade de quem mandava na segurança, o Zeca, o Dagoberto ( deputado federal do PDT, aliado de Zeca) e Almir Paixão (ex-secretário de Segurança Pública no período governador por Zeca).

Na sequencia, o governador criticou um promotor de Justiça do “leste do Estado” que teria cobrado a construção de presídios. “Aceito que meu governo seja fiscalizado, mas não assim. Isso [cobrar presídio] não é atribuição dele [do promotor], é do Executivo”.

Outro recado atingiu um grupo de delegados da Polícia Civil, os quais, segundo Puccinelli, estariam fazendo campanha política nas delegacias. “Ninguém tá lá para torcer pelo Santos e, sim, pela corporação. Eu proíbo que se façam campanhas, que sei que acontecem”, disse o governador que completou olhando para o diretor da Polícia Civil, Jorge Razanauskas. “Não é Razanaukas?”.

No final, Puccinelli reservou mais um ataque a Zeca do PT. Ele disse que hoje o servidor estadual recebe o salário em dia e que isso não acontecia no governo anterior. “Cumpro a legislação trabalhista, ele não cumpria”.

Leia Também

PIX SAQUE
Pix Saque começa hoje:comércio vê nova ferramenta como chamariz para clientes,mas teme por segurança
TRAGÉDIA NA LINHA DO TREM
vítima comemorou aniversário do marido um dia antes de morrer com a filha em acidente com trem
COVID NO BRASIL
Covid-19: Brasil registra 229 óbitos e 9,2 mil novos casos
# PREVENIR É O REMÉDIO
Covid-19: Brasil registra 303 mortes e 12.126 casos em 24 horas
DESESPERO
Vídeo: veja momento em que calçada cede e pessoas caem em rio
PÂNICO NO AEROPORTO
Vídeo mostra passageiros gritando e muito desespero em avião da Azul; veja
EMBOSCADA
Jovem morre após ser atingida por tiro na cabeça
# PREVENIR É O REMÉDIO
Covid -19 casos sobem para 22,043 milhões e mortes, para 613,3 mil
ESTUPRO DE VUNERALVEL
Menina de 11 anos conta para avô que é estuprada pelo padrasto
CRUELDADE
Justiça nega exame de insanidade a mulher que esquartejou filho