Menu
SADER_FULL
domingo, 11 de abril de 2021
Busca
Brasil

André chora três vezes para não ter segundo turno em CG

24 Set 2004 - 15h39
O prefeito André Puccinelli chegou a chorar ontem três vezes durante reunião com cerca de mil pessoas no Clube Nipo Brasileiro, na saída pra Três Lagoas. A "choradeira" teria ocorrido quando ele pediu apoio aos participantes para não deixar acontecer o segundo turno em Campo Grande, alegando que se isso acontecesse haveria dificuldade para fazer a campanha de Nelsinho Trad (PMDB), seu candidato. "E aí eu não vou ser governador", teria dito André.

Possivelmente a partir de pesquisas eleitorias internas, Puccinelli tenha ficado sabendo que cresceu ainda mais a possibilidade de segundo turno na Capital. Fontes que participaram da reunião informam que ele teria, inclusive, reclamado de que a cidade estaria traindo ele.

O evento aconteceu ontem às 17 horas e reuniu basicamente servidores municipais. A informação foi confirmada por uma funcionária do clube, Luiza Crisanto, que, contudo, não soube dar mais detalhes por ter presenciado apenas o começo da reunião. "Não assisti tudo", afirmou ela.

 
 
MS Notícias

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições
MORTANDADE
Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registradas em um dia pela 1ª vez
COPA LIBERTADORES
Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores
FATALIDADE
Técnico de informática morre após levar choque a partir de fone de ouvido
CANALHA
Pai comete estupro e diz que filha precisa saber "como é ter um homem"
SOB INVESTIGAÇÃO
Cantor gospel e pastor é encontrado morto e amarrado em árvore
CONTAMINAÇÃO
Igrejas superam mercado e consultório médico em risco de transmissão de Covid-19, aponta estudo
CRISE NA PANDEMIA
Número de brasileiros que vivem na pobreza quase triplicou em seis meses, diz FGV