Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 15 de janeiro de 2021
Busca
Brasil

Amigos, parentes e políticos dão adeus ao ex-senador Lúdio Coelho

23 Mar 2011 - 12h45Por Mídia Max

O corpo do ex-senador e ex-prefeito de Campo Grande, Lúdio Martins Coelho foi enterrado na manhã desta quarta-feira (23) no cemitério Parque das Primaveras. Centenas de pessoas, entre parentes, amigos e políticos de um dos mais renomados pecuarista sul-mato-grossense, acompanharam a cerimônia.

“Não sei se por coincidência ou não ele [Lúdio] nasceu no primeiro dia da primavera e morreu no primeiro dia de outubro, mês de colher frutos. E a trajetória de vida dele foi assim: render inúmeros frutos para a sociedade”, disse Edmar Neto, sobrinho do ex-prefeito. Lúdio Coelho nasceu no dia 22 de setembro de 1922, numa fazenda situada no município de Rio Brilhante.

Lúdio Coelho iniciou sua carreira política na primeira metade da década de 1960, quando disputou o governo do então Mato Grosso. Embora favorito, ele perdera o confronto para o ex-governador Pedro Pedrossian.

Já no início dos anos 70, ele era tido como um dos homens que mais tinha terra aqui em Mato Grosso do Sul. Além de fazendeiro, ele e os irmãos viraram dono de banco, o Financial, entre os anos 70 e 80. Esse banco foi negociado com o Bamerindus, hoje conhecido como HSBC. "As pessoas que não moravam no Estado vinham perguntar se ele tinha tanta terra assim, e comentavam que seu Lúdio não podia comprar mais. Mas isso era mais fama do que qualquer outra coisa", disse o ex-deputado federal Dagoberto Nogueira.

Lúdio Coelho retomou a carreira política no em 1983, aos 61 anos idade, quando se tornara prefeitura de Campo Grande. O mandato expirou em 1985, mas quatro anos depois, ele se elegera prefeito pela segunda vez (1989-1992).

Ele tentou governar o Estado mais uma vez nos anos 90, mas perdera a disputa para o ex-governador Marcelo Miranda. Elegeu-se depois como Senador da República, seu último mandato público. Ele deixou a política aos 80 anos idade, mas, ainda assim, atuando como presidente de honra do PSDB.

Lúdio Coelho teve apenas um filho, Ludinho, que morreu aos 22 anos de idade. O rapaz foi sequestrado e morto em 1976. Hoje o nome de Ludinho batiza o Parque Itanhangá, em Campo Grande.

Repousado sobre o féretro, o chapéu - marca que identificou Lúdio por toda uma vida - simbolizava hoje a trajetória bem-sucedida como pecuarista, administrador de empresas e político.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAIU O EDITAL
Com salário de até R$ 23,6 mil, Polícia Federal abre inscrição em concurso no dia 22
DESESPERO EM MANAUS
Médicos e familiares de pacientes descrevem colapso com falta de oxigênio em Manaus; leia relatos
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa libera saque da última parcela do auxílio emergencial a aniversariantes em julho
HORROR NA NOITE
Crianças são encontradas chorando ao lado de corpos de pais assassinados
DOR E DESCASO
Filho é obrigado abrir cova para enterrar próprio pai por não encontrar coveiro em cemitério
SEUS DIREITOS
Trabalhador afastado por Covid-19 tem direito a auxílio-doença do INSS
COM DESCONTOS
Veja as opções de pagamento do IPVA com desconto
CASA PRÓPRIA
Casa Verde e Amarela substitui Minha Casa Minha Vida com opção para renegociar dívidas e menos juros
FINALISTA LIBERTADORES
Santos atropela Boca Jr e terá o Palmeiras numa final Brasileira
TRAGÉDIA NA PONTE
Motorista morre após caminhão cair de ponte